Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA anunciam plano para salvar borboleta-monarca

Estima-se que as populações da espécie tenham diminuído de um bilhão em 1996 para cerca de 30 milhões atualmente

A borboleta-monarca vive uma situação alarmante: desde 1996, 970 milhões delas desapareceram na América do Norte. Estima-se que as populações desse inseto tenham diminuído de um bilhão para cerca de 30 milhões atualmente. O dado foi divulgado pelo Serviço Americano de Pesca e Vida Selvagem (U.S. Fish and Wildlife Service) na segunda-feira.

A queda é decorrente da aplicação de herbicidas nas plantas asclépias, que funcionam como maternidades para essas borboletas, além de sua casa e fonte de alimentos. Toda primavera, esses animais fazem uma migração do México para o Canadá que leva seis gerações para ser concluída.

Leia também:

Cientistas explicam voo de milhares de quilômetros das borboletas monarcas

Contaminação por pesticidas pode causar impacto ambiental ‘sem precedentes’

O governo americano anunciou que 3,2 milhões de dólares serão destinados a salvar os insetos. Deles, 2 milhões de dólares serão empregados em projetos para aumentar o número de asclépias nas principais rotas de migração das borboletas.

O Serviço Americano de Pesca e Vida Selvagem está avaliando uma petição feita pelo Centro de Diversidade Biológica para listar a borboleta-monarca como uma espécie ameaçada que necessita de proteção especial para sobreviver.

Outros insetos – As abelhas também vêm sofrendo baixas nos últimos tempos, devido a um fenômeno conhecido como síndrome do colapso da colônia, ainda não totalmente explicado. Acredita-se que ele possa ter relação com pesticidas do tipo neonicotinoide, absorvidos por todas as partes das plantas. As suspeitas levaram a União Europeia a banir, a partir de julho de 2013, o uso desses pesticidas em algumas culturas por um período de dois anos, apesar dos protestos de produtores agrícolas e de multinacionais químicas e agroalimentícias.

(Da redação de VEJA.com)