Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Descoberto, na China, dinossauro semelhante a pássaro

O Eosinpteryx se parecia com as aves modernas, mas era incapaz de voar, mostrando que a origem do voo foi mais complexa do que se esperava

A descoberta dos restos fósseis de uma nova espécie de dinossauro no nordeste da China desafia as teorias mais aceitas sobre a evolução das aves e o surgimento do voo. Uma pesquisa publicada na última terça-feira na revista Nature Communications descreve o animal, conhecido como Eosinpteryx, como um dinossauro de apenas trinta centímetros de comprimento, cheio de penas e parecido com as aves modernas.

Conheça a pesquisa

Título original: Reduced plumage and flight ability of a new Jurassic paravian theropod from China

Onde foi divulgada: revista Nature Communications

Quem fez: Pascal Godefroit, Helena Demuynck, Gareth Dyke, Dongyu Hu, François Escuillié e Philippe Claeys

Instituição: Universidade de Southampton, na Inglaterra

Dados de amostragem: Um fóssil de dinossauro encontrado no nordeste da China

Resultado: O estudo conclui que o fóssil pertenceu a uma nova espécie de dinossauro conhecida como Eosinpteryx. Ele teria 30 centímetros de comprimento, com penas pelo corpo e seria incapaz de voar. A descoberta mostra que os dinossauros semelhantes às aves já eram bastante diversificados no final do Jurássico.

As teorias mais conhecidas afirmam que as aves evoluíram a partir de um grupo de dinossauros chamados terápodos, no início do Período Cretáceo, há cerca de 120 ou 130 milhões de anos. A ideia foi proposta ainda no século 19, quando foi descoberto um fóssil na Alemanha que mostrava uma mistura das características de aves e dinossauros. Nomeada de Archeopterix, a espécie se tornou conhecida como o ancestral mais antigo dos pássaros.

Nas últimas décadas, no entanto, novos fósseis revelaram outras espécies de dinossauros semelhantes às aves, questionando a centralidade do Archeopterix nesse processo. “A descoberta do Eosinpteryx joga ainda mais dúvidas sobre a teoria de que o famoso fóssil de Archeopterix foi essencial na evolução dos pássaros modernos”, diz Gareth Dyke, paleontólogo da Universidade de Southampton, na Inglaterra.

O fóssil, que data do final do Período Jurássico, aumenta a diversidade de dinossauros semelhantes às aves que habitaram a Terra nessa época. Segundo a pesquisa, apesar de possuir penas pelo corpo, o animal era incapaz de voar por causa da pequena envergadura de suas asas e sua estrutura óssea. Além disso, a ausência de penas no rabo e na parte baixa das pernas indica que o animal era um bom corredor.

Leia também:

Todos os dinossauros carnívoros tinham penas, diz estudo

Dinossauros usavam penas para cortejar parceiros

Segundo os pesquisadores responsáveis pelo estudo, isso demonstra que as aves podem ter surgido de dinossauros que não voavam. “A descoberta mostra que a origem do voo foi muito mais complexa do que se pensava anteriormente”, afirma Gareth Dyke.

Aves são dinossauros? – A teoria mais aceita atualmente é de que embora o Tiranossauro, o Triceratops e todas as outras feras do período Mesozoico (de 251 a 65,5 milhões de anos atrás) estejam extintas, um grupo de dinossauros continua bem vivo atualmente. Os pássaros teriam evoluído a partir de um grupo de pequenos dinossauros terópodes há cerca de 150 milhões de anos. Ou seja, tecnicamente falando, pássaros são dinossauros. As aves evoluíram e se diversificaram durante o Mesozoico. No final do período Cretáceo (período final do Mesozoico, entre 145 e 65,5 milhões de anos), quando todos os outros dinossauros (conhecidos como não-avianos) morreram, alguns pássaros sobreviveram à extinção e se tornaram os mais bem-sucedidos vertebrados voadores.

Saiba mais

DINOSSAUROS

Grupo de répteis gigantes extintos que surgiu por volta de 225 milhões de anos atrás e viveu até cerca de 65 milhões de anos atrás, quando todos os dinossauros não avianos (ou seja, exceto as aves) foram extintos. Apresentavam pernas dispostas como colunas abaixo do corpo (e não voltadas para os lados, como nos jacarés). Apesar de seus fósseis serem conhecidos há milhares de anos (a lenda dos dragões veio daí), o termo dinossauro (deinos=terrível saurus=lagarto) só foi criado em 1842, pelo primeiro curador do Museu de História Natural de Londres, Richard Owen.

TERÓPODOS

Os terápodos eram todos predadores carnívoros bípedes, e tinham aqueles ‘bracinhos’ característicos dos Tiranossauros, e, geralmente, garras e dentes afiados. Apesar do tiranossauro estar extinto, tecnicamente os terápodos ainda existem, já que as aves são descendentes de pequenos terópodos, como o Archaeopteryx, um pequeno dinossauro emplumado do tamanho de um pombo. “Acredite: o beija-flor é um dinossauro terápode tanto quanto um Tiranossauro rex”, afirma o paleontólogo Luiz Eduardo Anelli em seu livro O Guia Completo dos Dinossauros do Brasil.

CRETÁCEO

Última etapa da chamada “Era dos Dinossauros” compreendida entre 145 e 65,5 milhões de anos atrás.

JURÁSSICO

Período que pertence à era Mesozoica compreendido entre 199 e 145 milhões de anos atrás.