Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cientistas identificam ossos de três inconfidentes mineiros

José de Resende Costa, Domingos Vidal Barbosa e João Dias Mota atuaram ao lado de Tiradentes no século XVIII. Restos serão depositados em Ouro Preto

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 17h08 - Publicado em 15 abr 2011, 19h54

A uma semana do feriado que homenageia Tiradentes, mártir da Inconfidência Mineira, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e o Instituto Brasileiro dos Museus (Ibram) anunciaram a identificação das ossadas de três outros mineiros que atuaram no mesmo movimento. Eles morreram há cerca de 200 anos e foram encontrados nos anos 30, na África. Feito o reconhecimento, os restos mortais serão depositados no Panteão do Museu da Inconfidência Mineira, em Ouro Preto, no Dia de Tiradentes, 21 de abril, em cerimônia que contará com a presença da presidente Dilma Rousseff.

Os corpos de José de Resende Costa, Domingos Vidal Barbosa e João Dias Mota estavam enterrados desde o século XVIII em Cacheu, na Guiné-Bissau. Em 1932, o governo do Brasil resolveu reunir os corpos de todos os inconfidentes espalhados pelo continente africano. Graças a lápides nomeadas e registros concretos, 16 deles foram facilmente identificados e sepultados no panteão do museu mineiro.

Como os ossos dos outros três inconfidentes estavam muito fragmentados, não foi possível identificá-los à época. Somente nos anos 80 o diretor do museu mineiro, Rui Mourão, soube da história e, em 1993, conseguiu transferir as ossadas, que estavam no arquivo do Itamaraty, para a Unicamp. O professor Eduardo Daruge, doutor em odontologia legal, foi incumbido de analisar os restos mortais dos três homens.

Sem auxílio financeiro, a equipe de Daruge acabou levando sete anos para chegar à identidade dos inconfidentes e à idade com que morreram: José de Resende Costa tinha por volta de 70 anos, Domingos Vidal Barbosa, 32, e João Dias Mota, 50 anos. A conclusão foi tirada após pesquisas sobre a vida deles e análise da densidade dos ossos. De acordo com o professor, parte dos custos com a pesquisa foi tirada de seu próprio bolso.

Continua após a publicidade
Reconstituição do rosto de José Resende da Costa (direita) mostra semelhanças com seu trineto, que viveu em Minas Gerais há poucos anos

Os inconfidentes – José de Resende Costa era capitão do Regimento de Cavalaria Auxiliar da Vila de S. João. Foi preso em 1789 e degredado para a África, junto com o filho, que conseguiu voltar para o Brasil anos mais tarde. Seu crânio era o único em condições de ser recomposto e seu rosto foi reconstituído. Para isso, os pesquisadores enviaram imagens de uma tomografia computadorizada à Universidade de Londres. Na face redesenhada, Resende da Costa aparenta ter 45 anos. Os traços assemelham-se ao de um trineto do inconfidente que vivia na cidade que leva o nome de Resende da Costa, em Minas Gerais.

João Dias da Mota também foi capitão do Regimento da Cavalaria Auxiliar da Vila de S. João e era amigo de Tiradentes. Morreu em 1793, de uma epidemia que assolou a região de Cacheu, aonde havia chegado nove meses antes. Domingos Vidal de Barbosa fazia parte da elite mineira, estudou Medicina na França e pediu apoio à Inconfidência pessoalmente ao ex-presidente americano Thomas Jefferson, quando ainda era embaixador.

Publicidade