Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cientistas divulgam lista das 100 espécies mais ameaçadas de extinção

Uma lista elaborada pela Sociedade de Zoologia de Londres (SZL), divulgada nesta terça-feira, apontou as 100 espécies de animais, plantas e fungos mais ameaçadas de extinção no mundo. Cinco são brasileiras: um macaco, duas borboletas, um preá e uma ave. O relatório, intitulado “Inestimável ou Inútil?” (Priceless or Worthless?, no original), pode ser conferido no website da instituição (em inglês).

Espécies ameaçadas no Brasil

Parides burchellanus

Habitat: Cerrado brasileiro

Quantas restam: Menos de 100

Cavia intermedia

Preá Cavia intermedia

Preá Cavia intermedia (/)

Habitat: Ilhas Moleques do Sul, Santa Catarina

Quantos restam: 40 a 60

MURIQUI-DO-NORTE (Brachyteles hypoxanthus)

Muriqui-do-norte

Muriqui-do-norte (/)

Habitat: Mata Atlântica da região Sudeste

Quantos restam: Menos de 1.000

SOLDADINHO-DO-ARARIPE (Antilophia bokermanni)

Soldadinho-do-araripe

Soldadinho-do-araripe (/)

Habitat: Sul do Ceará

Quantas restam: 779

Actinote zikani

Borboleta Actinote zikani

Borboleta Actinote zikani (/)

Habitat: Mata Atlântica do estado de São Paulo

Quantas restam: Número desconhecido

“Todas as espécies listadas são únicas e insubstituíveis. Se desaparecerem, nenhum dinheiro no mundo poderá trazê-las de volta”, disse uma das autoras do estudo, Ellen Butcher.

O relatório da SZL foi lançado na ilha Jeju, na Coreia do Sul, onde 8.000 autoridades governamentais, representantes de ONGs e cientistas de 170 países se reuniram para participar do Congresso Mundial de Conservação.

Os conservacionistas temem que algumas das espécies incluídas na lista, como o camaleão-tarzã de Madagascar (que vive na África) e a preguiça-anã de três dedos do Panamá (América Central), desapareçam por não fornecerem aos humanos benefícios evidentes.

Brasileiros ameaçados – Entre as espécies brasileiras, a mais ameaçada é o preá Cavia intermedia, um roedor que chega a medir 25 centímetros e vive nas Ilhas Moleques do Sul, perto de Florianópolis, Santa Catarina. Hoje, restam 60 exemplares da espécie.

Outro animal listado que vive no Brasil é o muriqui-do-norte (Brachyteles hypoxanthus), o maior macaco das Américas, que pode chegar a 15 quilos. A presença do muriqui está restrita a algumas faixas remanescente da Mata Atlântica nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia.

Também fazem parte da lista o soldadinho-do-araripe (Antilophia bokermanni), um pássaro que vive no Ceará, e as borboletas Actinote zikani, que vivem em regiões de Mata Atlântica de São Paulo, e os Parides burchellanus, que vivem no cerrado.