Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Céu virtual e carro retrátil na CeBIT

Um céu que promete acabar com o ambiente fechado dos escritórios e um carro que pode se retrair para ajudar o motorista a estacionar são algumas das novidades que mais têm chamado a atenção dos visitantes do Salão de Tecnologias da Informação e da Comunicação de Hannover (CeBIT), na Alemanha.

Para eliminar a iluminação deprimente dos escritórios, cientistas alemães desenvolveram um sistema que reproduz no teto um “céu virtual”. Este sistema de “céu virtual” utiliza telas planas cumpridas fixadas no teto que, graças a 288 mini-LEDs podem produzir, cada uma, vermelho, azul, verde e branco, oferecendo 16 milhões de combinações de cores.

Os mini-LEDs também podem formar móveis como nuvens e reproduzir a luz do dia, nascer e pôr-do-sol, de acordo com a hora.

Com isso, os funcionários podem ter a sensação de trabalhar sob um sol de primavera, adornado aqui e ali com as nuvens que passam lentamente sobre suas cabeças.

Estudos mostram que a sensação de espaço aumenta a produtividade do trabalhador significativamente, disse à AFP Matthias Bues, o cientista do Instituto Fraunhofer, que desenvolveu este sistema.

“Você realmente se sente como se estivesse fora”, ressaltou.

“A luz é realmente uma grande influência sobre o seu bem-estar e as pessoas gostam de sentir que não estão realmente no escritório”, acrescentou.

O produto chama a atenção desde o anúncio de seu lançamento este ano na CeBIT, a maior exposição internacional de alta tecnologia realizada em Hannover (norte da Alemanha).

“Várias empresas têm apresentado grande interesse e, não se enganem sobre isso, em breve você verá em muitos escritórios”, afirmou.

Hospitais e asilos também manifestaram o seu entusiasmo, porque “isso poderia ter efeitos terapêuticos reais para pessoas que não podem sair”, como os idosos ou os deficientes, disse Bues.

E como o “céu virtual” utiliza mini-LEDs e não lâmpadas fluorescentes, respeita mais o meio ambiente do que a maioria dos sistemas luminosos.

Os painéis, que medem 50 cm² por peça, custam 1.200 euros.

Outra novidade apresentada foi um carro que pode se contrair até 50 centímetros para facilitar o estacionamento.

Com 2,1 metros, o pequeno veículo de dois lugares, de cor azul cobalto, suscitou a curiosidade durante o segundo dia do maior evento tecnológico mundial.

Se você tem medo de danificar seus pára-choques ao tentar parar em uma vaga, você pode reduzir o comprimento do carro em 50 centímetros. O carro também é equipado com rodas que giram em 360°, o que permite estacionar lateralmente.

Dotado de sensores para evitar um “encostão”, o próprio carro pode manobrar e até ir te buscar na porta de seu trabalho graças a um computador que o conduz sem a necessidade de motorista e que obedece seu smartphone, explicou Timo Birnschein, do Centro Alemão de Inteligência Artificial.

“A tecnologia para fazer tudo isso existe” e uma produção é previsível “nos próximos 5 ou 6 anos”, afirmou Birnschein, que está à frente de uma equipe de dez pessoas que trabalham há 15 anos no projeto.

Trata-se de um veículo elétrico destinado a um uso cidadão, com uma velocidade máxima de 55 km/h e uma autonomia de 100 km com as baterias totalmente carregadas.

As rodas que fazem a rotação também produzem uma energia que o carro pode utilizar.

Mas a inovação mais surpreendente é a possibilidade de acoplar cerca de vinte desses carros, criando uma espécie de pequeno trem conduzido pelo motorista à frente. Com esta configuração, os carros colocam sua energia em comum.

No momento, trata-se apenas de um protótipo, o que torna difícil estimar o preço desta tecnologia.

E esqueça qualquer temor de ter o espaço interno sacrificado. “Trabalhamos nisto”, assegurou Birnschein.

O CeBIT acontece até o dia 10 de março em Hannover (norte da Alemanha) e recebe cerca de 4.200 expositores de 70 países, que vieram apresentar suas últimas novidades tecnológicas.