Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Astrônomos flagram buraco negro devorando estrela

O buraco negro está localizado no centro de uma galáxia a uma distância de 2,7 bilhões de anos-luz e tem uma massa 3 milhões de vezes maior que a do Sol

Astrônomos americanos observaram em tempo real o momento em que um buraco negro ‘engolia’ uma estrela, fenômeno excepcional que só ocorre uma vez a cada 10 mil anos, em média, em uma galáxia.

“Os buracos negros são um pouco como os tubarões. Consideramos, sem razão, que são máquinas perpétuas de matar. Na verdade, são tranquilos na maior parte da vida. Mas ocasionalmente, uma estrela se aventura perto demais e o frenesi alimentar se desencadeia”, explicou Ryan Chornock, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, coautor do estudo publicado nesta quarta-feira na revista britânica Nature.

O fenômeno descrito no estudo foi descoberto em 31 de maio de 2010, por meio de observações feitas com o telescópio Pan-STARRS 1, no Havaí. Uma luz inesperada surgiu de uma galáxia situada a 2,7 bilhões de anos-luz. A luz foi se intensificando até alcançar seu ponto culminante em 12 de julho daquele ano, antes de desaparecer gradativamente.

A luz veio de um buraco negro supermassivo, até então adormecido, localizado no centro de uma galáxia. Com massa equivalente a três milhões de vezes a do Sol, esse buraco negro equivale ao similar que está situado no centro da nossa galáxia.

“Observamos a morte de uma estrela e sua ‘digestão’ por parte do buraco negro em tempo real”, explicou Edo Berger, professor de ciências naturais em Harvard, que participou do estudo.

Como um buraco negro não emite luz, ele não pode ser visualizado isoladamente. As observações são feitas com o uso de telescópios que captam raios emitidos pelas matérias que entram em contato com ele. Quando uma estrela passa muito perto de um buraco negro, ela é atraída por ele e pode ser despedaçada. Os gases que a constituem brilham pelo aquecimento causado no atrito.

Perguntas & respostas

  • O que é um buraco negro? Uma região do espaço onde a gravidade é tão forte que nada consegue escapar, nem a luz – é por isso que eles são invisíveis.
  • Como nasce um buraco negro? Para brilhar, uma estrela cria uma força para fora, por causa das reações nucleares que a fazem funcionar, enquanto sua própria gravidade a empurra para dentro. Quando uma grande estrela deixa de funcionar, ela é esmagada pela própria força da gravidade e assim nasce o buraco negro.
  • Quantos buracos negros existem? A maioria dos astrônomos acredita que a Via Láctea – a galáxia onde está a Terra – possui milhões de buracos negros. Cientistas já encontraram muitos buracos negros na nossa galáxia, mas não sabemos ainda quantos existem em todo o universo.
  • Quais os tipos de buraco negro que existem? Os buracos negros galáticos existem por toda a galáxia e possuem uma massa dezenas de vezes maior que a do Sol. Há também os buracos negros supermassivos, com uma massa superior a 1 milhão de vezes a do Sol. Os cientistas acreditam que eles foram criados há bilhões de anos e existem no centro da maioria das galáxias, até da Via Láctea.
  • Existem buracos brancos? Existem apenas na teoria. Eles seriam a outra ponta do buraco negro, que expeliria todo o material absorvido.
  • Como se observa um buraco negro? É impossível visualizar um buraco negro, já que ele não emite luz. Mas, com telescópios de raios-X, é possível detectar a radiação emitida por um buraco negro. Isso acontece porque uma espiral de matéria é sugada por ele. Esse material se aquece e emite raios-X, captados por telescópios como o Chandra, que descobriu o buraco negro ‘bebê’.
  • Qual o buraco negro mais próximo da Terra? O objeto mais próximos e que mais se parece com um buraco negro está a 8.000 anos luz de distância. Fica dentro do sistema Cygnus X-1 e foi objeto de uma aposta entre o físico Stephen Hawking e Kip Thorne. Hawking apostou que não havia um buraco negro. Perdeu.
  • O universo está dentro de um buraco negro? O físico Nikodem Poplawski concebeu um modelo matemático segundo o qual até mesmo o nosso universo estaria dentro de outro, que estaria dentro de outro e assim por diante. Neste modelo, o material absorvido pelo buraco negro daria origem a estrelas e galáxias em outra dimensão. Atualmente, acredita-se que tudo que entra em um buraco negro é destruído.

Em observações feitas posteriormente no MMT Observatory, no Arizona, foi percebido que o buraco negro estava consumindo grandes quantidades de gás hélio. Os cientistas descobriram que o pedaço de estrela engolido pelo buraco negro era o núcleo de uma estrela vermelha gigante. A falta de hidrogênio mostrou que essa estrela já tinha perdido sua atmosfera externa em uma passagem anterior pelo buraco negro.

“Essa estrela sobreviveu a um encontro com o buraco negro, apenas não teve a mesma sorte da segunda vez”, disse Chornock.

A descoberta demonstra o poder de investigação do telescópio Pan-STARRS 1 que foi desenhado para localizar todos os tipos de fenômenos transitórios (eventos de curta duração no espaço, como a explosão de uma supernova ou o mesmo uma estrela sendo engolida por um buraco negro, como observado neste estudo) no céu noturno.

(Com Agência France-Presse)