Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Astronauta da missão Apollo 10 descarta que “música do espaço” gravada na Lua tenha origem extraterrestre

Gravações divulgadas em um programa de televisão americano levaram a especulações sobre "música alienígena”. Mas, de acordo com os cientistas, os sons não passam de uma simples e conhecida interferência de rádio

Por Da Redação Atualizado em 10 dez 2018, 09h39 - Publicado em 23 fev 2016, 17h04

Um áudio gravado em 1969, durante a missão Apollo 10, da Nasa, não é música extraterrestre. Desde o último fim de semana, quando as gravações de misteriosos sons ouvidos pelos astronautas durante a missão foram divulgados no programa Nasa’s Unexplained Files (Os arquivos não explicados da Nasa, em tradução livre), do canal americano Discovery Science, diversos rumores sobre ruídos que teriam sido fabricado por algum tipo de vida encontrada fora da Terra começaram a surgir em sites e canais de notícias internacionais. Cientistas da Nasa, no entanto, explicam que os sons não passam de uma interferência comum, com a qual os astrônomos jamais se preocuparam.

Leia também:

Nasa publica mais de 10 000 fotos da Missão Apollo. Confira as melhores

Estrela misteriosa intriga cientistas. Seria vida extraterrestre?

O programa mostrou como, ao entrar na órbita da Lua em maio de 1969, os três tripulantes da missão passaram pelo lado escuro do astro, ficando, aproximadamente, uma hora sem comunicação de rádio com a Terra. Durante este período, os astronautas ouviram um som estranho vindo do espaço, uma espécie de assovio. O registro, transcrito pela Nasa em um documento com 506 páginas, mostra que a tripulação não identificou imediatamente o que seria o som.

A conversa registrada entre os astronautas Eugene Cernan e John Young revela a surpresa de ambos ao escutar os ruídos:

“Você ouviu esse som de assovio também?”.

“Sim. Parece, você sabe, um tipo de música do espaço”.

“Eu me pergunto o que deve ser isso.”

O som dura cerca de uma hora e desaparece. As transcrições foram publicados pela Nasa em seu site em 2008 e, em 2012, foram postados os áudios, para que qualquer pessoa possa ouvi-los. Contudo, apenas durante a transmissão do programa americano, no último fim de semana, elas se tornaram acessíveis ao grande público.

“O mais provável é que os astronautas tenham escutado uma interferência”, afirmou Bob Jacobs, porta-voz da Nasa, à rede britânica BBC.

Devido ao alcance do programa, o astronauta Eugene Cernam também veio a público para explicar que os ruídos não foram fabricados por extraterrestres.”Esqueçam os aliens”, disse ao site da revista Time, nesta quarta-feira. “Seria interessante descobrir de onde veio toda essa história.”

De acordo com o astronauta, se a tripulação acreditasse que os ruídos fossem outra coisa além de uma interferência corriqueira, eles provavelmente teriam informado “todo mundo” depois do voo.

Versão científica – A origem dos sons pode ser explicada pela interferência entre as ondas de rádio do módulo lunar e as ondas VHF do módulo de comando (ambos ancorados na superfície lunar).

No livro livro Carrying the Fire: An Astronaut’s Journeys (Transportando Fogo: A Jornada de um Astronauta, na tradução livre), publicado em 1974, o astronauta Michael Collins, tripulante da missão Apollo 11 (que pousou com sucesso na superfície lunar), conta como durante a viagem percebeu um som como um “uivo” no espaço. O barulho, de acordo com Collins, ocorreu porque enquanto o rádio do módulo lunar e do módulo de comando estão ligados simultaneamente e próximos um do outro, as ondas de ambos se chocam, causando um som que pode ser ouvido de dentro da nave espacial. Segundo ele, esse ruído também havia sido percebido durante a missão Apollo 10 e teria a mesma fonte.

Veja abaixo o vídeo (em inglês) dos sons ouvidos durante a missão Apollo 10, com imagens da Discovery Science/Nasa:

https://www.youtube.com/watch?v=EBqfg1ZQrGA

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade