Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Além de lubrificar os olhos, piscar tem função neurológica

Estudo mostra que atividade renova a atenção para novas tarefas a serem feitas

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h24 - Publicado em 27 dez 2012, 05h27

O ser humano pisca os olhos, em média, de 15 a 20 vezes por minuto. Enquanto sabemos que o piscar de olhos serve para lubrificar a córnea, os flashes aparentemente espontâneos ocorrem com frequência maior que o necessário para o processo de lubrificação ocular. A questão é: por que piscar tantas vezes “desnecessariamente” se isso custa 400 milissegundos de tempo de visual a cada piscada, o que corresponde a 10% do tempo que as pessoas gastam vendo as coisas?

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Blink-related momentary activation of the default mode network while viewing videos

Onde foi divulgada: Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas)

Quem fez: Tamami Nakano, Makoto Kato, Yusuke Morito, Seishi Itoi e Shigeru Kitazawa

Instituição: Osaka University e National Institute of Information and Communications Technology

Continua após a publicidade

Dados de amostragem: 20 pessoas saudáveis, entre 20 e 24 anos, sem desordens neurológicas

Resultado: O olho pisca como forma de renovar a atenção para uma nova tarefa a ser realizada.

Cientistas do Japão se interessaram pelo assunto e publicaram na Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), nesta segunda-feira (24), uma pesquisa que sugere um novo propósito para o piscar dos olhos: a liberação da atenção sobre algo e a preparação da mente para uma nova tarefa. Para a realização da pesquisa, 20 voluntários entre 20 e 24 anos sem distúrbios neurológicos foram submetidos à exibição de episódios da série Mr. Bean, enquanto ligados a um aparelho de ressonância magnética.

Estudos anteriores feitos pelos mesmos pesquisadores mostraram que os piscares ficam sincronizados enquanto as pessoas assistem a esses vídeos, o que seria um bom motivo para continuar a pesquisa. Para eles, estava claro que havia motivos neurológicos para a quantidade de piscadas. Durante a análise, os participantes piscaram em média 17,4 vezes por minuto. Mas, enquanto o piscar ocorria, não foram observadas atividades em duas áreas do cérebro responsáveis pela atenção.

O que foi notado foram picos de atividade mental em áreas relacionadas a uma parte do cérebro que permite ao ser humano entrar em uma espécie de marcha lenta, ou repouso acordado, em oposição à atenção focada. Foi notada ainda a diminuição da atividade na área do cérebro que ajuda a saber onde concentrar a atenção.

Os pesquisadores acreditam que o olho pisca, então, como uma maneira de de fazer uma pausa rápida antes de renovar a atenção, o que tende a ocorrer em momentos de transição lógica, como final de cena ou no fim de uma frase, por exemplo.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês