Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Agência Espacial e Embrapa assinam acordo para atuar em fazendas espaciais

Parceria contará com uma rede de 12 instituições e mais de 30 pesquisadores e poderá consolidar o papel do Brasil no acordo Artemis

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 nov 2023, 11h45 - Publicado em 23 nov 2023, 11h25

A maioria dos filmes de viagem extraterrestre não pensa muito na alimentação dos astronautas nesses ambientes, mas, com a ascensão de uma nova corrida espacial essa será uma preocupação real. A oportunidade para o Brasil neste cenário é inquestionável e o país está de olho nessa chance. Nesta terça-feira, 21, o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antônio Chamon, e a executiva da Embrapa, Silvia Massruhá, assinaram protocolo de intenções em benefício da participação no Programa Artemis, da Nasa.

A partir da parceria, a Embrapa fornecerá dados, tecnologias e produtos que poderão ser utilizados em fazendas espaciais, área conhecida internacionalmente como space farming. O foco será no desenvolvimento e na adaptação de culturas de batata-doce e grão de bico, hortaliças estratégicas por serem versáteis, nutritivas e de rápido crescimento. 

De acordo com os presidentes, a cooperação abre um novo caminho para ambas as instituições. Para a empresa de agropecuária, representa a consolidação do papel de referência em agricultura tropical e a busca de novos desafios; para a agência espacial, a busca da conquista do espaço para além da produção de foguetes, satélites e tecnologias de sensoriamento remoto

“Desde que o Brasil assinou o Acordo Artemis, em 2021, e os objetivos publicados em 2022, sendo alguns deles relacionados ao cultivo de plantas no espaço, vislumbrou-se a oportunidade de a Embrapa contribuir com avanços em pesquisa agrícola, assim, levei a ideia de Space Breeding e Space Farming à gestão da Embrapa Pecuária Sudeste, que apoiou o avanço de articulações sobre a temática”, diz a pesquisadora Alessandra Fávero, à Secretaria de Comunicação da Embrapa.

Continua após a publicidade

A parceria estabelece uma rede de 12 instituições e mais de 30 pesquisadores que atuarão na ciência agropecuária com foco no acordo Artemis, um programa de cooperação internacional para exploração da Lua lançado pela Nasa e recebe o mesmo nome da missão que pretende levar astronautas de volta para o satélite antes do final deste século. 

Se der resultados, a colaboração poderá consolidar o papel do Brasil na exploração lunar e abrir espaço para o país em outras cooperações internacionais. 

Os astronautas, no entanto, não serão os únicos beneficiários. “Existem milhões de pessoas passando fome no mundo, muitos solos degradados que precisam ser recuperados e é nossa responsabilidade ter isso como prioridade”, afirma o pesquisador da Embrapa Agrobiologia, Gustavo Ribeiro Xavier. Assim como a primeira corrida espacial acelerou o desenvolvimento de tecnologias utilizadas até hoje como o velcro, a câmera de celular e os filtros de água, a pesquisa em space farming poderá ajudar no solução de problemas como o cultivo em ambientes inóspitos e a recuperação de solos degradados. É, potencialmente, uma via de mão dupla. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.