Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sob protestos, vereadores de SP aumentam o próprio salário

Proposta havia sido derrotada no plenário da Câmara paulistana na sexta-feira. Salários dos parlamentares passam de de 15.031,76 reais para 18.991,68 reais

Depois de uma tentativa frustrada na sexta-feira passada, os vereadores da cidade de São Paulo aprovaram na tarde desta terça-feira, por 30 votos a 11, o aumento do próprio salário. O reajuste de 26,3%, que eleva o salário de 15.031,76 para 18.991,68 reais, passa a valer a partir do dia 1º de janeiro de 2017 e não depende da aprovação do prefeito.

A medida não constava na pauta do dia, que é publicizada diariamente no Diário Oficial. Ontem, o próprio presidente da Casa, Antonio Donato (PT), descartava a possibilidade de o reajuste passar. No entanto, numa votação relâmpago, que durou menos de dez minutos, os parlamentares aprovaram um requerimento para incluir a proposta na pauta e a aprovaram logo em seguida.

Enquanto registravam sim ou não no painel eletrônico em silêncio, os parlamentares eram vaiados por manifestantes que enchiam as galerias da Casa. Gritos de “Vergonha” e “Se aumentar, nós vamos ocupar” eram ouvidos.

“Fizeram isso o mais rápido possível para evitar o enfrentamento das galerias”, disse o vereador Police Neto (PSD), que votou contra o projeto. Ele afirmou considerar o aumento “justo”, mas pouco oportuno para o momento em que o país vive, de aumento dos índices de desemprego e queda da massa salarial da população. “A Câmara poderia abdicar e dar o exemplo à sociedade”, completou.

Os parlamentares que votaram a favor da medida se retiraram do plenário sem falar com os jornalistas. Antes, eles argumentavam que o aumento era “apenas uma reposição conforme a inflação” e que, se o projeto não fosse aprovado, os salários ficariam congelados por pelo menos oito anos – o último reajuste foi aplicado em 2013.  A lei impede que eles aumentem a renumeração no mesmo mandato. Por isso, o reajuste só pode ser votado em relação à próxima legislatura. Acontece que 33 dos 55 vereadores foram reeleitos no pleito deste ano. Um dos opositores da proposta, o vereador Toninho Vespoli (PT) disse que discutir o aumento neste momento era “legislar em causa própria”.

A autoria do projeto de resolução 12/2016 é da Mesa Diretora da Casa e leva a assinatura de três vereadores, Milton Leite (DEM), Adilson Amadeu (PTB) e Adolfo Quintas (PSD). Na última sexta, a proposta foi publicada no Diário Oficial, passou pelas comissões a toque de caixa e foi colocada em votação no mesmo dia. No entanto, não houve quórum suficiente para aprová-la.

Além do salário, cada um dos 55 vereadores de São Paulo tem direito a uma verba de cerca de 143.000 reais para pagar o salário de 20 funcionários. E mais 22.000 reais para cobrir despesas de gabinete. O projeto de resolução não tem efeito cascata sob o vencimento dos servidores.

O aumento salarial pode ser encarado como uma derrota para o prefeito João Doria (PSDB), já que a verba da Câmara Municipal  sai dos cofres da prefeitura. Doria se manifestou diversas vezes contrário à medida. Para entrar em vigor, a medida só precisa ser promulgada pelo presidente da Câmara – no caso, Antonio Donato.

“O aumento de salários em meio à crise econômica evidencia o distanciamento da Câmara com a população. Está em total desconexão com a realidade”, completou Vespoli. Ele foi o único a discursar no meio da votação relâmpago.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. everton pereira

    Volta militares, pelo amor ao brasil e ao povo brasileiro e põe essa cambada pra correr. Não precisamos dessa corja.

    Curtir

  2. Fernando Santos

    Não tem que depredar patrimônio público nem privado, tem que depredar é a fuça destes canalhas.

    Curtir

  3. Luiz Carlos Bittencourt

    Reelegem uma cambada de safados, depois não podem achar ruim de nada !!

    Curtir

  4. Pergunta: Quantas microempresas que tem em seus quadros vinte funcionários, vereador tem, olha que eles produzem um monte de nada.

    Curtir

  5. jose renildo duarte da silva

    a maioria deles eleitos com haddad e o PT , olho neles povo de São Paulo .

    Curtir

  6. Julio Rodrigues Neto

    Sequestraram o Brasil, e estão fazendo dele o que querem. Duvido, qualquer destes Parlamentares, que aprovaram o aumento, conseguir ganhar a metade, na iniciativa privada.

    Curtir

  7. André Luis Barbosa

    Alguém ainda em sã consciência acredita em políticos? Não percebem que estamos sendo governados por bandidos? Parem de votar nesses vermes. Somente intervenção militar, ou na pior das hipóteses intervenção civil, ou pior ainda, guerra. Somente se ocorrer isso é que o Brasil ficará livre dos bandidos de terno e gravata

    Curtir

  8. Mario Cesar Alves Pereira

    BANDO DE VAGABUNDOSSSSSSSS ATÉ QUANDO VAMOS TER QUE AGUENTAR ESTES SAFADOS ESTÁ NA HORA DO POVO AGIR PEGAR ESTES SENVERGONHAS E JOGAR TODOS NA CAÇAMBAS DE LIXOSSSSSSSSSSS

    Curtir