Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Um novo ponto brasileiro na rota do patrimônio marítimo mundial

Ilhas Cagarras representam um tranquilo refúgio no Oceano Atlântico para várias espécies ameaçadas e estão no meio da rota de migração das baleias jubarte

Por Da Redação Atualizado em 29 abr 2021, 13h05 - Publicado em 30 abr 2021, 06h00

- Ilhas Cagarras (foto)
Apesar de estarem distantes a apenas 5 quilômetros da agitada orla da Zona Sul do Rio de Janeiro, as Ilhas Cagarras representam um tranquilo refúgio no Oceano Atlântico para várias espécies ameaçadas e estão no meio da rota de migração das baleias jubarte. Recentemente, as Cagarras receberam o título de Hope Spot (Ponto de Esperança) da Mission Blue, uma aliança internacional pela conservação marinha. A classificação foi criada com o intuito de chamar a atenção para as áreas com maior relevância biológica do planeta — atualmente, 130 pontos fazem parte dessa relação.

- Parque Nacional dos Abrolhos
Considerado o “berçário” das baleias jubarte, ele foi o primeiro ponto nacional a receber o título de Hope Spot. Concentra a maior diversidade marinha do país. Em 1983, um decreto federal criou o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, medida fundamental para ajudar a preservar suas riquezas.

- Ilhas Galápagos
Localizadas a 1 000 quilômetros da costa do Equador, também ostentam a classificação Hope Spot por possuírem flora e fauna únicas no mundo. A pandemia causou grandes estragos ali. Base da economia local, o movimento turístico foi seriamente afetado pela Covid-19. Em março, a fim de estimular a volta de visitantes, o governo equatoriano liberou a entrada de viajantes que apresentem certificado de vacina contra o coronavírus.

- Triângulo dos Corais
A “Amazônia dos oceanos” é outra integrante da lista do Hope Spot. Trata-se de uma área de 6 milhões de quilômetros quadrados que passa por Filipinas, Indonésia, Malásia, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão e Timor Leste. Ali, convivem mais de 3 000 espécies de peixes e 76% dos tipos de corais existentes na Terra.

Publicado em VEJA de 5 de maio de 2021, edição nº 2736

Continua após a publicidade
Publicidade