Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tendência no exterior, coaching ganha mais adeptos no Brasil

Metodologia estimula o aumento da autoconfiança e a quebra de barreiras para que as pessoas possam atingir o seu potencial máximo

Sucesso no exterior – apenas nos Estados Unidos, são gerados mais de 2,3 bilhões de dólares ao ano –, o coaching ganha cada vez mais adeptos e espaço no Brasil

Sucesso no exterior – apenas nos Estados Unidos, são gerados mais de 2,3 bilhões de dólares ao ano –, o coaching ganha cada vez mais adeptos e espaço no Brasil (IBC Coaching/Divulgação)

Com o mercado de trabalho cada vez mais dinâmico, o autoconhecimento passou a ser ainda mais importante, seja para a carreira dos profissionais ou para atingir metas e objetivos pessoais. Isso porque, quando a pessoa desenvolve o autoconhecimento, ela consegue traçar propósitos, além de potencializar seu foco. Mas adquirir autoconhecimento não é uma tarefa simples: requer orientação e técnicas de profissionais especializados. É em um desses sentidos que os coaches, especialistas que utilizam conhecimentos das mais variadas áreas, como a administração, gestão, psicologia, neurociência, recursos humanos e planejamento estratégico, atuam. Tais profissionais se formaram justamente para ajudar a desenvolver e orientar as pessoas, a fim de que elas utilizem o máximo de seu potencial, seja na vida pessoal, social, familiar ou financeira.

Sucesso no exterior – apenas nos Estados Unidos, são gerados mais de 2,3 bilhões de dólares ao ano –, o coaching ganha cada vez mais adeptos e espaço no Brasil. Isso porque, além de movimentar e gerar ganhos econômicos, a técnica é uma metodologia de desenvolvimento que tem como objetivo tirar um indivíduo de sua situação atual e levá-lo ao estado desejado de forma rápida e satisfatória. O processo é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de aumento da autoconfiança e da quebra de barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo e alcançar suas metas de forma objetiva e, principalmente, assertiva.

Embora seja indicado para qualquer tipo de pessoa, o treinamento é especialmente recomendado aos profissionais que buscam novas habilidades para se aprimorar na carreira atual ou melhorar o currículo com mais uma certificação, executivos que têm a necessidade de melhorar a sua performance como líderes e motivar os seus colaboradores, além de psicólogos que desejam ampliar as possibilidades de trabalho na clínica e trabalhar com grupos e projetos específicos, visando potencializar pessoas – e não apenas a cura de doenças psicológicas.

Nos últimos anos, o coaching também tem sido muito procurado por pessoas que buscam evoluir, identificar novos talentos, habilidades e descobrir uma missão de vida. Os treinamentos também fazem sucesso entre trabalhadores insatisfeitos com seus atuais empregos e que buscam nos cursos uma nova carreira como coach, aliando realização profissional a um propósito de vida.

Um dos pioneiros da técnica no país, o master coach senior José Roberto Marques, criador da metodologia Self Coaching, vem revolucionando o mercado nacional de treinamento e desenvolvimento na última década. Com a crença de que “cada ser humano possui um potencial infinito que pode ser despertado e desenvolvido”, ele criou, em 2007, o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) e hoje é a maior autoridade no assunto no Brasil – e reconhecido como líder de mercado pela Universidade de Ohio, nos Estados Unidos.

Decisivo para qualquer carreira

O ex-jogador de futebol Paulo Jamelli é um grande exemplo de como o coach agrega a qualquer área profissional. Ex-atacante que ao longo da carreira defendeu grandes clubes brasileiros, como São Paulo, Santos e Corinthians, e o espanhol Zaragoza, hoje, atua como coach na área esportiva. “Desde os tempos em que eu jogava, sempre acreditei muito na parte mental do esporte. Os atletas, em geral, são fisicamente e tecnicamente muito parecidos, mas sempre havia alguns que se sobressaíam nos momentos decisivos. Então, eu percebi que isso tinha a ver com a preparação mental”, conta Jamelli. “Quando eu parei de jogar, comecei a pesquisar mais sobre o assunto. Há alguns anos, fiz o primeiro curso no IBC e não parei mais. Hoje estou próximo de terminar a minha formação como master coach.”

Jamelli, que atualmente atende jovens talentos das categorias de base e atletas de alto rendimento – no futebol, basquete, golfe, pôquer, tênis e atletismo –, explica que o trabalho como coach exige conhecimento em diversas áreas, mas que o mais importante é ter a sensibilidade de fazer as perguntas certas para que os coachees (pessoas que recebem as orientações) se conheçam melhor e encontrem eles mesmos as soluções para os seus desafios. “A palavra coach significa carruagem, que é o que leva a pessoa do ponto A ao ponto B. E o coaching é o cocheiro, que apenas a guia da sua situação atual até o seu objetivo”, resume o ex-jogador.

Mais do que ajudar atletas a ganhar medalhas, o coaching também tem se mostrado uma ferramenta fundamental no meio corporativo, especialmente por melhorar o clima organizacional, estimular os relacionamentos entre equipes e melhorar a comunicação nas empresas. No caso específico do Self Coaching, método exclusivo desenvolvido por José Roberto Marques em que o aluno aprende na prática e já sai do curso pronto para aplicar treinamento, a formação ainda permite conciliar uma vida executiva à atuação como coach em outras áreas de interesse.

Foi exatamente o que aconteceu com a empresária Renata Spallicci, que fez o curso de Professional & Self Coaching há cerca de dois anos com o objetivo de aprimorar seu trabalho e acabou encontrando na atividade uma nova carreira. “O curso foi transformador na minha vida, tanto na parte profissional, já que eu sou a gestora de uma empresa, como no aspecto pessoal, no sentido de descobrir o que eu queria fazer e colocar em prática. Eu passei a entender que existiam outras coisas que eu gostaria de realizar. Uma delas era ser atleta de fisiculturismo”, conta a executiva, que se tornou fisiculturista profissional e hoje atua também como Wellness Coach – que auxilia a desenvolver inteligência emocional e eliminar medos.

Pioneiro

Em dez anos de existência, o IBC capacitou mais de 500 000 pessoas, desde as que desejavam evoluir pessoalmente, identificar novos talentos ou habilidades ocultas até executivos que buscavam melhorar sua performance como líderes, motivar e desenvolver equipes e gerenciar conflitos. Com atuação em 90 municípios espalhados por todas as regiões do país, a organização já formou mais de 1 000 turmas. No mundo, alunos de 23 países diferentes já buscaram a capacitação do instituto. Os cursos do IBC também são muito procurados por pessoas que desejam se tornar coaches – a equipe liderada por José Roberto Marques, por exemplo, já formou mais de 30 000 profissionais na última década.

O alcance e grande número de pessoas capacitadas ao longo desse período não são à toa: o portfólio de produtos atinge diferentes perfis. Os cursos oferecidos vão desde capacitações básicas, parcerias com universidades do exterior, como um seminário com a Universidade de Ohio, até MBAs e pós-graduação.