Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sobe para 4 o número de mortos em tiroteio no Alemão

Entre as vítimas, o menino Benjamin, de 1 ano. Perseguição policial começou quando criminosos atiraram com fuzil contra viatura parada em UPP

Um menino de 1 ano e dois adultos (uma mulher e um homem) morreram atingidos durante um tiroteio entre policias militares e criminosos na favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, por volta das 21 horas da sexta-feira. Um dos suspeitos também morreu, segundo a Polícia Militar.

A criança, identificada como Benjamin Novaes, foi baleada na cabeça quando estava em um carrinho de bebê levado por sua mãe, Paloma Maria Novaes, de 29, ferida de raspão na barriga e em um braço. As outras vítimas fatais são Maria Lúcia da Costa e José Roberto da Silva, ambos de 58 anos. O suspeito morto foi identificado pelo apelido de “Carão”. Um menino de 8 anos ficou ferido com os tiros, assim como um suspeito, Daniel Elias Amaral de Carvalho, de 26 anos, atingido na barriga e que está sob custódia. Outros dois suspeitos fugiram.

Tiroteio no Complexo do Alemão, RJ Benjamin, de 1 ano, foi atingido quando estava no carrinho

Benjamin, de 1 ano, foi atingido quando estava no carrinho (Betinho Casas Novas/Futura Press/Folhapress)

A criança e os dois adultos baleados foram levados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da comunidade e depois transferidas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha (zona norte), mas não resistiram. Carvalho também foi socorrido nessa unidade de saúde, onde se submeteu a cirurgia. Todos os feridos receberam atendimento médico e não correm risco de vida.

Familiares de Benjamin contaram ao jornal Extra que Paloma ia com o filho buscar um vestido para uma festa que seria realizada neste sábado e parou para comprar algodão doce para Benjamin quando ele foi baleado.

O veículo e um fuzil usados pelos criminosos foram apreendidos, assim como um revólver, munição e drogas. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio.

Apreensões feitas pela polícia após o tiroteio

Apreensões feitas pela polícia após o tiroteio (//Divulgação)