Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PT e PMDB se coligam em mais de mil cidades

Por AE

São Paulo – PT e PMDB conseguiram replicar sua aliança nacional em boa parte dos municípios brasileiros e se tornaram, em números absolutos, os maiores parceiros destas eleições municipais. Quando um dos dois partidos está na cabeça de chapa na disputa por uma prefeitura, é apoiado pelo outro em mais de mil das 5.566 cidades do País, segundo dados disponíveis até agora na Justiça Eleitoral – cerca de 90% das informações sobre os acordos locais estão consolidadas.

As cúpulas nacionais dos petistas e dos peemedebistas vêm estreitando seus laços justamente por desdobramentos das eleições municipais deste ano. A relação entre a presidente Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, se fortaleceu, segundo fontes do Palácio do Planalto, após o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, fazer críticas públicas ao modo como o PT trata aliados.

Nestas eleições, PSB e PT acabaram desfazendo acordos locais que vinham da sucessão municipal passada. É o caso de Belo Horizonte, onde Marcio Lacerda (PSB) terá de enfrentar Patrus Ananias (PT). O fim do acordo local também ocorreu no Recife e em Fortaleza. Isso não quer dizer que o racha se espalhou por outras cidades do País. Os dois partidos estarão juntos em cerca de 700 municípios neste ano.

O PSB é o partido que mais apoia candidatos do PT, por exemplo. No total, a sigla está presente em 413 coligações com petistas na cabeça de chapa, à frente do PMDB, que faz parte de 387 coligações comandadas por petistas. Já o PT compõe 315 coligações encabeçadas por candidatos do PSB.

Tucanos também. A segunda maior aliança nestas eleições municipais – sempre levando em conta que um dos partidos está na cabeça de chapa na campanha – ocorre entre PMDB e PSDB, partido de oposição ao governo Dilma. São cerca de 900 acordos locais entre tucanos e peemedebistas neste ano.

Isso se deve ao fato de o PMDB entrar nestas eleições com o maior número de candidatos a prefeito. São mais de dois mil nomes. O número é 30% maior que o do segundo partido que mais lançou candidatos, o PT. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.