Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prefeito de Abadiânia teme desemprego após denúncias contra João de Deus

José Aparecido Alves Diniz teme desemprego e queda na presença de turistas na região

O prefeito de Abadiânia (GO), José Aparecido Alves Diniz (PSD), teme desemprego com a queda do movimento de turistas na região após denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus. Em entrevista à Rádio Eldorado, Diniz informou que a casa Dom Inácio de Loyola motiva, indiretamente, 1 300 postos de trabalho em Abadiânia.

“Nós vamos ter que trabalhar muito para superar esta questão do emprego. Se João de Deus tivesse tido algum problema de saúde, a casa continuaria trabalhando, mas dessa forma acho que não mais”, disse.

Para minimizar a questão do desemprego na região, Diniz informou que terá em breve uma conversa com os governadores eleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) para levar indústrias para a região.

“Nós somos cortados pela BR-060, que liga Brasília a Goiânia, estamos a 100 km das duas capitais. Nossa ideia era aproveitar esta questão da proximidade da BR e levar indústrias para a região. A gente tem um potencial muito grande para instalar empresas e gerar emprego para a população de Abadiânia”, explicou Diniz.

De acordo com o prefeito, a maioria das pousadas cadastradas junto ao centro Dom Inácio de Loyola é informal e não gera renda ao município.

José Aparecido Alves Diniz, prefeito de Abadiânia (GO)

José Aparecido Alves Diniz, prefeito de Abadiânia (GO) (TSE/Divulgação)