Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PR tem que reavaliar rompimento com governo, diz Braga

Por Ricardo Brito

Brasília – O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), afirmou hoje que o PR “tem que reavaliar sua posição” de rompimento com o governo Dilma Rousseff. Ontem no final da tarde, o líder do partido na Casa, Blairo Maggi (MT), anunciou que os sete senadores da legenda deixarão a base aliada. A decisão do PR – que não se estendeu à bancada da Câmara – foi motivada pela tentativa frustrada de indicação de um novo ministro para a pasta dos Transportes.

Braga disse que tem feito um “esforço gigantesco” para mudar a posição do partido. O líder do governo, que se reuniu ontem à noite com Maggi, disse que foi “atropelado” pela negociação frustrada da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Ela não aceitou os indicados pelo PR para o Ministério dos Transportes e acabou oferecendo ao partido duas estatais. Braga e Blairo ficaram de conversar novamente hoje.

“O PR quer participar do governo? Quer. Tanto é que a Câmara não se posicionou. É publico que a presidenta da República convidou o Blairo para ser ministro. Eu fiz todos os esforços, tentei tudo para que isso caminhasse. Aí sou atropelado por isso aqui e aí fica uma situação esquisita”, afirmou o líder do governo, referindo-se às várias reportagens publicadas em sites, inclusive da Agência Estado, sobre o rompimento do PR.

O líder do governo evitou criticar diretamente a atuação da ministra no caso. Ele disse que não gosta de “fulanizar” essas questões e “responsabilizar o elo mais fraco da corrente”. “Coitada da Ideli. A Ideli não tinha, naquele momento, como estabelecer (um diálogo) maior do que ela estava fazendo”, disse o líder. Para Braga, o líder do PR deveria ter conversado com a liderança do governo, antes de anunciar publicamente a saída da base aliada.

Na conversa de ontem à noite, segundo Braga, Maggi disse que, dependendo de como for o convite para assumir o Ministério dos Transportes, ele poderá avaliar e aceitar. “O convite nunca foi retirado”, disse Braga.