Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia procura vítimas de serial killer em mais dois locais

Investigadores recolheram apenas roupas e objetos em ponto de uso de drogas e casa onde trabalhou o pintor apelidado de "Monstro da Alba"

A Polícia Civil realizou nesta quarta-feira novas buscas por corpos de desaparecidos na Favela Alba, Zona Sul de São Paulo, após receber duas denúncias anônimas. Foram vasculhados dois locais frequentados pelo pintor Jorge Luiz Morais de Oliveira, de 41 anos, preso desde a semana passada. Na casa dele, peritos encontraram no início desta semana sete cadáveres, ossadas humanas, crânios e roupas de homens, mulheres e crianças. Ele confessou ter assassinado seis vítimas.

Apelidado de “Monstro da Alba”, Morais está preso temporariamente no 77º Distrito Policial. Ele depôs aos investigadores, mas revelou poucas informações sobre os crimes e alegou ter cometido os homicídios alcoolizado e drogado.

Um dos locais averiguados nesta quarta foi um ponto de uso de drogas em que o pintor e as vítimas conviviam – uma casa abandonada. Mas, segundo a delegada Nilze Scapulatiello, só foram encontradas roupas e objetos no local.

A outra denúncia apontava para uma casa distante 2 quilômetros da residência de Oliveira, onde ele prestava serviços de jardinagem e pintura. “Havia um morador na casa. Não encontramos nenhuma pista”, afirmou a delegada.

De acordo com o delegado da 2ª Seccional, Jorge Carrasco, as investigações se concentrarão agora no 35º DP do Jabaquara e o próximo passo é encontrar as famílias e tentar identificar as vítimas para que o pintor possa responder por cada um dos crimes cometidos. Quatro delegados se reuniram nesta quarta para tentar chegar a uma linha de investigação.

Leia mais:

Pintor confessa ter estrangulado seis pessoas