Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia procura mais corpos após encontrar jovens mortos

Restos mortais de seis adolescentes estavam em terreno de parque municipal

Por Da Redação 10 set 2012, 16h01

As polícias civil e militar farão uma operação ainda nesta segunda-feira em Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro, após encontrar os corpos de seis adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos. De acordo com a assessoria de imprensa da corporação, as autoridades investigam a possibilidade de existirem mais corpos no terreno, dentro do Parque Municipal Mesquita.

Os seis corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). Embora o órgão ainda não tenha a identificação dos jovens, a polícia civil confirmou que as vítimas encontradas mortas são seis adolescentes que estavam desaparecidos desde sábado – conforme registro feito pelos familiares no domingo no 57º Distrito Policial (Nilópolis).

Policiais militares do 20º Batalhão foram acionados por volta das 8 horas desta segunda por moradores da região, que avistaram os corpos na altura do km 13 da Rodovia Presidente Dutra, cobertos por lençóis, com marcas de tiros e facadas, e as mãos amarradas. Pais e parentes fizeram o reconhecimento. As investigações do caso devem ser transferidas do 57º ao 53º DP, delegacia de Mesquita.

Vítimas – As vítimas são: Douglas Ribeiro da Silva, de 17 anos, Glauber Siqueira, 17, Vitor Hugo, 17, Josias, 16, Patrick, 16 e Cristiano Vieira, 19. De acordo com a PM, as famílias informaram que o grupo foi visto pela última vez quando seguia para uma cachoeira na zona oeste da capital, em Gericinó. No registro de desaparecimento, os parentes informavam que os rapazes tinham participado de um festival de pipas na cidade. O pai de um dos rapazes conseguiu contato com um telefone celular que estava com o grupo. Um homem teria avisado que o dono do aparelho “já era”.

As famílias afirmam que os jovens não tinham ligação com atividades criminosas. Uma suspeita apresentada à polícia é o fato de os seis serem moradores do bairro Cabral, que tem traficantes de uma quadrilha rival do grupo que controla a área de Gericinó. Como estavam a caminho de uma cachoeira, a polícia acredita que eles tenham sido capturados na trilha e raptados pelos criminosos.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade