Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia prende quadrilha que fazia arrastão em restaurantes

Grupo foi responsável por pelo menos quatro assaltos na Zona Sul da cidade neste mês. Carro com faixa roxa ajudou a polícia a encontrar os criminosos

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, entre quarta e quinta-feira desta semana, quatro suspeitos de integrar uma quadrilha que realizava arrastões em restaurantes na Zona Sul de São Paulo. De acordo com a polícia, o bando realizou pelo menos quatro assaltos somente neste mês, nos bairros de Moema, Itaim Bibi e Vila Mariana.

Segundo o delegado Armando Bellio, titular do 27º Distrito Policial, os assaltantes escolhiam os restaurantes aleatoriamente, realizando os crimes no período da noite. “Eles agiam de maneira covarde”, afirmou Bellio. “Entravam nos restaurantes num momento de descontração dos clientes e os ameaçavam com armas de fogo. Colocavam todos deitados no chão e arrebatavam os objetos das vítimas, além do dinheiro do caixa do estabelecimento.”

Ana Paula Santos da Silva, de 25 anos , Césio Alves de Sousa, de 42 anos, e Francisco Chagas de Oliveira, de 36 anos, foram presos em flagrante na quarta-feira após assaltarem um café na Rua Tomas Carvalhal, na Vila Mariana. Após a prisão dos três, as investigações apontaram o envolvimento de Clayton Caballero de Alencar, de 23 anos, que foi preso na quinta-feira.

Quadrilha que fazia arrastão em restaurantes após serem presos Quadrilha que fazia arrastão em restaurantes após serem presos

Quadrilha que fazia arrastão em restaurantes após serem presos (/)

Carro personalizado – De acordo com a polícia, o grupo era liderado por Clayton e Ana Paula, que aliciavam integrantes diferentes a cada arrastão para não levantar suspeitas. Apesar da tentativa de confundir as investigações, a quadrilha utilizou o mesmo carro em todos os assaltos confirmados pela polícia até o momento. Além de estar registrado em nome de um dos integrantes da quadrilha, o Corsa prateado possui uma faixa adesiva roxa na lataria, o que facilitou sua identificação.

Segundo o delegado, foram ouvidas seis vítimas até o momento e todas fizeram o reconhecimento dos quatro acusados. Marcos Antônio da Silva Junior, de 24 anos, também foi indiciado pela polícia, mas continua foragido. “Ele era responsável pela fuga do pessoal”, disse Bellio. A polícia ainda investiga se há outros integrantes do bando.