Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Polícia prende 41 pessoas em rinha de pitbulls em São Paulo

Foram resgatados do local 18 animais, quase todos feridos

Por Leonardo Lellis Atualizado em 17 dez 2019, 10h50 - Publicado em 16 dez 2019, 09h23

A Polícia Civil de São Paulo prendeu 41 pessoas que participavam de uma rinha de cães em Mairiporã, na região metropolitana da capital. Foram encontrados no evento clandestino 18 animais da raça pitbull, quase todos feridos, além de um cachorro que estava sendo assado e serviria de comida para os outros cães.

A operação, no último sábado, contou com o apoio da Delegacia de Proteção do Meio Ambiente do PR. Os policiais encontraram no local anotações de apostas, celulares, troféus, camisetas do evento, planilhas de lutas, medicamentos ilegais, seringas e insumos hospitalares.

De acordo com a polícia, dentre os detidos estavam apostadores, criadores e treinadores, além de um médico veterinário — que, segundo as autoridades, oferecia soro para manter os animais na rinha. Pelo menos cinco estrangeiros também foram presos: um americano, dois peruanos e dois mexicanos. Um policial militar também foi preso e encaminhado ao presídio Romão Gomes.

O delegado Matheus Laiola, da Polícia Civil do PR, contou em sua conta no Instagram que havia filhotes entre os cães resgatados e os participantes colocavam pimenta no focinho dos animais para deixá-los enfurecidos para as brigas. Segundo ele, a operação envolveu mais de 100 policiais.

Os animais resgatados foram mantidos sob escolta policial — o Instituto Luisa Mell ofereceu apoio para ajudar no acolhimento dos cães em estado mais grave; outros foram encaminhados para adoção. Os detidos foram autuados pelos crimes de maus tratos a animais, resistência e contravenção penal de aposta em jogo de azar.

View this post on Instagram

Cenas fortes!!! Vejam até onde o ser humano é capaz de ir. Tenho 13 anos de Polícia e nunca me emocionei tanto em uma operação como essa. Triste demais 🥺🥺🥺🥺🥺 Amanhã de manhã, coletiva de imprensa na DPMA

A post shared by Matheus Laiola (@delegado.matheuslaiola) on

Continua após a publicidade

Publicidade