Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Polícia indicia mais 18 por documentação da Boate Kiss

Investigadores apontam que acusados se envolveram em irregularidades nos processos de emissão de licenças para funcionamento da casa noturna

Por Da Redação 19 jul 2014, 16h13

A Polícia Civil em Santa Maria (RS) indiciou mais dezoito pessoas por irregularidades nos processos de pedidos e emissão de licenças para funcionamento da Boate Kiss, em inquérito complementar ao que investigou o incêndio na casa noturna. A apuração foi encerrada na sexta-feira. A tragédia ocorreu em 27 de janeiro de 2013 e matou 242 pessoas. Dois sócios do estabelecimento e dois integrantes da banda que animava a festa estudantil quando o fogo começou já respondem a processo criminal por homicídio.

O inquérito complementar detectou que alvarás de funcionamento da boate foram emitidos com base em documentos inadequados ou com informações incompletas e acusa onze pessoas por falsidade ideológica, uma por prevaricação, uma por fraude processual, três por falso testemunho e seis por crime ambiental – três deles são funcionários públicos. Algumas pessoas foram indiciadas por mais de um crime. Entre os acusados estão também os sócios da boate e familiares deles, empregados do estabelecimento e funcionários públicos.

O relatório foi encaminhado ao Ministério Público, que pode oferecer denúncia à Justiça, pedir mais investigações ou arquivá-lo. A polícia também remeteu uma cópia à prefeitura, para providências administrativas cabíveis.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade