Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia Federal prende auditor da Receita por fraude

José Cassoni Rodrigues Gonçalves estava foragido desde abril de 2012. Polícia encontrou na casa de auditor 2,5 milhões de dólares em espécie

A Polícia Federal prendeu o auditor da Receita Federal José Cassoni Rodrigues Gonçalves por uso de documento falso. A prisão ocorreu na noite de terça-feira na sede da delegacia da PF em Volta Redonda (RJ), quando o auditor tentava tirar um passaporte com outra identidade.

Cassoni foi alvo da Operação Paraíso Fiscal – missão conjunta entre a PF, Procuradoria da República e Receita em agosto de 2011. A ação desarticulou uma organização criminosa formada por um grupo de auditores da Delegacia do Fisco em Osasco (SP).

Segundo a investigação, eles criaram um esquema de venda de fiscalizações e fraudes no ressarcimento de tributos. Os auditores extorquiam empresários e industriais para reduzir valor de autuações ou até mesmo eliminar procedimentos tributários.

Na ocasião, a PF apreendeu no forro da residência de Cassoni, em Alphaville, Grande São Paulo, 2,5 milhões de reais e mais 2,5 milhões de dólares em dinheiro vivo dentro de caixas de leite. O patrimônio estimado do auditor chega a 20 milhões de reais.

Paraíso Fiscal – A Operação Paraíso Fiscal foi a maior ação anticorrupção na Receita. Foram presos seis auditores e um doleiro. A Justiça Federal determinou o sequestro de imóveis e a apreensão de 13 veículos de luxo dos acusados. Ordenou também o bloqueio das contas bancárias mantidas por eles no Brasil e no exterior.

Por meio de pedido de cooperação internacional, o Ministério Público Federal obteve o bloqueio de 2,1 milhões de dólares mantidos clandestinamente por um dos auditores em conta de empresa offshore.

Em 10 de abril de 2012, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região derrubou liminar que favorecia Cassoni e restabeleceu decreto de prisão preventiva contra ele. Desde então, Cassoni estava foragido.

Segundo a PF, há alguns dias, ele foi à delegacia de Volta Redonda e deu entrada com pedido de passaporte com outro nome. Ao retornar terça-feira para retirar o documento foi preso porque o sistema de reconhecimento de impressões digitais da PF acusou o foragido.

Cassoni pretendia fugir do país. Nesta quarta, ele foi removido para o presídio Bangu 8, no Rio. Outros três auditores da Receita, alvos da Paraíso Fiscal, continuam foragidos.

A criminalista Beatriz Catta Preta, que defende Cassoni, disse que ainda não teve acesso ao auto de prisão em flagrante do auditor.

(Com Estadão Conteúdo)