Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

PMs matam assaltante que fez idosa refém no RJ; Bolsonaro dá ‘parabéns’

Senhora de 83 anos ficou cerca de 10 minutos com arma apontada para sua cabeça em Valença (RJ); policiais atingiram o criminoso quando ela tropeçou e caiu

Por Redação 5 dez 2018, 20h35

Um homem que assaltou uma joalheria no município de Valença (RJ), no sul do Rio de Janeiro, foi morto por policiais militares nesta quarta-feira, 5, após fazer refém uma idosa de 83 anos por cerca de dez minutos.

Conforme nota divulgada pela Polícia Militar, PMs do 10º Batalhão que patrulhavam o centro da cidade foram informados por pessoas que passavam pela região que a loja havia sido assaltada. Segundo o texto, o criminoso portava um revólver calibre 38 e, ao avistar os policiais, fez a senhora refém, apontando a arma para a cabeça dela e “ameaçando matá-la a todo tempo”.

Mesmo cercado pelos agentes, ele se negava a se render e tentou fugir levando a idosa, até que ela tropeçou e caiu na rua, atrás de um veículo que estava estacionado. Nesse momento, dois dos policiais atingiram o assaltante com seis tiros. Ele morreu no local e a senhora, segundo a PM, passa bem.

Foram apreendidos no local o revólver do criminoso e 50.000 reais em joias, que ele havia roubado na joalheria.

Continua após a publicidade

PMERJ/Reprodução

Bolsonaro parabeniza policiais

Por meio de sua conta no Twitter, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), parabenizou os policiais que mataram o assaltante. “A vida do cidadão de bem sempre deve ser prioridade”, escreveu Bolsonaro, que recebeu como resposta do perfil da PM fluminense: “Nossas continências, Exmo Presidente eleito!!!”.

Uma das bandeiras da campanha do presidente eleito é a alteração do Código Penal para incluir o “excludente de ilicitude” a policiais que matam criminosos durante o serviço.

Filho do presidente eleito, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também enalteceu a atuação dos PMs. “Aplausos para esse policial. Merece uma medalha, a qualquer momento o criminoso poderia matar a idosa ou o próprio policial”, afirmou.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)