Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PMs confessam furto de mochila de assaltantes

Grupo foi filmado com a bolsa em que ladrões levavam dinheiro de roubo a restaurante. Em depoimento, no entanto, suspeitos afirmaram ter encontrado apenas "papel picado"

Flagrados por um cinegrafista amador, dois policiais militares do Rio confessaram ter ficado com a mochila de uma quadrilha de assaltantes, momentos depois do roubo a um restaurante. A bolsa seria usada para carregar o produto do roubo, cerca de 11 mil reais. Os dois PMs investigados, no entanto, negaram ter encontrado dinheiro. Eles dizem ter achado apenas “papel picado” na sacola. Ao todo, quatro policiais foram alvo da investigação por suspeita de furto, mas dois deles foram inocentados ao longo do procedimento.

O subtenente Ronaldo César Neves, que aparece no vídeo carregando a mochila, está de licença médica. As imagens mostram Neves saindo com a mochila, enquanto um bandido agoniza na calçada, baleado. O sargento Fábio Silva Lopes é o outro policial suspeito de furto. Os dois prestaram depoimento na última segunda-feira. Dentro de 15 dias deve ser anunciado o resultado do procedimento conduzido pelo Conselho de Disciplina da PM, que poderá recomendar a expulsão dos dois PMs e dizer se eles têm condições de continuar a trabalhar na rua, com porte de arma.

O dinheiro do assalto até hoje não foi encontrado. O crime aconteceu na manhã do dia 13 de agosto e terminou em tiroteio entre policiais e os criminosos. Ao todo, sete assaltantes tentaram roubar o caixa do restaurante Brasa Gourmet, que fica na Tijuca. Surpreendida pela polícia, a quadrilha trocou tiros com os PMs. Três bandidos foram mortos. Dois suspeitos ainda estão foragidos. No dia 17, a PM abriu um Inquérito Policial Militar (IPM) para investigar “possíveis ilegalidades” na conduta dos agentes durante o confronto. Entre elas, a de execução de um dos criminosos.

Confira, no vídeo, o momento em que os PMS levam a mochila do assaltante morto:


LEIA TAMBÉM:

No Rio, policiais recuperam dinheiro de assalto. E ficam com ele

(Com Agência Estado)