Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PM atira para o alto e mata morador de apartamento

José Joaquim de Santana, de 81 anos, estava em casa quando um policial da UPP das favelas Arará e Mandela fez disparo para o alto, para dispersar um protesto. Traficantes aproveiraram para atacar os policiais

Por Da Redação 19 dez 2013, 11h12

Uma ação desastrada de policiais militares no Complexo de Manguinhos terminou com um homem morto, baleado em seu apartamento. Uma equipe da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) das favelas Arará e Mandela tentava conter, no início da manhã, uma manifestação de moradores. Um dos PMs fez um disparo para o alto e acabou atingindo o morador José Joaquim de Santana, de 81 anos. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora informou que identificou o autor do disparo. A arma do PM deverá ser submetida a perícia e todos os policiais envolvidos na ocorrência ficarão afastados temporariamente das funções de rua.

A situação ficou tensa no local. Os manifestantes atiraram pedras contra os carros que trafegavam na Avenida Leopoldo Bulhões, em Bonsucesso. Traficantes de drogas que ainda se escondem na favela, apesar da presença da UPP, aproveitaram-se da situação e dispararam contra os policiais.

Segundo o coordenador do movimento Rio de Paz, Antônio Carlos Costa, que foi ao local para acompanhar a manifestação, o estopim da confusão foi a abordagem de PMs a um menino de 13 anos. Moradores da favela Mandela II, em Manguinhos, exigiam que a mãe acompanhasse o adolescente até a delegacia, mas os policiais teriam recusado esperar a mulher para conduzir o adolescente.

Outro protesto – O confronto nas imediações de Manguinhos foi o segundo envolvendo militares de UPPs em menos de dez horas. No início da noite de quinta-feira, moradores da favela Parque Alegria atiraram pedras contra os carros que trafegavam pela Linha Vermelha. O grupo protestava contra uma abordagem policial, realizada por policiais da UPP do Caju, que terminou com dois suspeitos baleados.

Leia também:

Bandidos fazem arrastão na Linha Vermelha e mantêm vítima refém

Continua após a publicidade
Publicidade