Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Pessoas sem casa devido à chuva já somam 4,3 mil no Rio

Último balanço da Defesa Civil estadual aponta piores situações em Angra dos Reis e Xerém, distrito de Duque de Caxias. Há um morto e dois desaparecidos

Por Da Redação 4 jan 2013, 00h42

Os temporais que atingiram o Rio de Janeiro na madrugada desta quinta-feira obrigaram pelo menos 4.375 moradores de cinco cidades (Angra dos Reis, Duque de Caxias, Seropédica, Petrópolis e Teresópolis) a sair de suas casas, segundo o último balanço divulgado pela Defesa Civil Estadual na noite desta quinta. As chuvas provocaram ainda a morte de ao menos uma pessoa em Xerém, distrito de Duque de Caxias. Mais de 20 pessoas ficaram feridas e duas estão desaparecidas na cidade.

Leia também:

Zeca Pagodinho, o sambista herói de Xerém

A pior situação ocorreu em Angra dos Reis, onde 160 pessoas ficaram desabrigadas e 2.700 foram desalojadas. Ao longo do dia, 2.380 foram autorizadas a retornar às suas casas. Em Duque de Caxias houve 400 desabrigados e 1.000 desalojados. Há 30 pessoas nessa situação em Petrópolis, 50 em Teresópolis e 35 em Seropédica. Os estragos acontecem menos de dois anos depois da maior tragédia natural do país. Chuvas que começaram na madrugada de 12 de janeiro de 2011 deixaram 916 mortos e 345 desaparecidos na Região Serrana.

Tragédia – Área mais atingida pelo temporal de quinta, Xerém sofreu a pior tragédia em 40 anos e amanheceu devastada. Ruas cobertas de lama, carros levados pela enxurrada e entulho por toda a cidade formavam o cenário de destruição causado pelo transbordamento de três rios. Pelo menos oito casas foram destruídas pelas águas. O homem que morreu não havia sido identificado até a noite de quinta. O corpo foi encontrado em uma praça.

Um desaparecido é funcionário da Companhia Estadual de Águas e Esgotos, identificado pelo Corpo de Bombeiros apenas como Enéas, que trabalhava em uma represa. O outro é morador de Duque de Caxias. A busca por vítimas e os trabalhos de recuperação foram interrompidos às 17h30.

Continua após a publicidade

“A previsão é de mais chuva durante a noite e por isso vamos deixar quatro equipes de plantão na região. Nesta sexta-feira, às 4 horas, reiniciamos as buscas pelos desaparecidos”, afirmou o subcomandante-geral dos bombeiros, tenente-coronel Alcântara. A chuva começou à meia-noite e se intensificou por volta das 2 horas da madrugada de quinta. A previsão da meteorologia é de que chova até esta sexta na Baixada e na Região Serrana.

Leia mais:

Acúmulo de lixo agravou enchente em Duque de Caxias

Previsão de chuva forte põe Região Serrana do Rio em alerta

Catástrofes naturais custaram US$ 160 bilhões em 2012

30 milhões de reais

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade