Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No WhatsApp, Bolsonaro diz que não irá visitar filho na Papuda

Fotógrafo registrou uma imagem do celular de Jair Bolsonaro, em conversa com o filho Eduardo Bolsonaro, no dia da votação para a presidência da Câmara

Na eleição para presidente da Câmara, no último dia 2 de fevereiro, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) teve apenas quatro votos e terminou na última colocação entre os seis que pleiteavam o cargo. Ele não teve nem mesmo o voto do filho, Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), que não compareceu à sessão.

No dia da votação, no plenário, o fotógrafo Lula Marques, registrou uma imagem do celular de Jair Bolsonaro. Nele, uma conversa dura com o filho, por meio do aplicativo WhatsApp. Lula Marques cedeu as fotos ao site de VEJA.

O registro começa assim. “Papel de filho da puta que você está fazendo comigo. Tens moral para falar do Renan? Irresponsável (Jair tem um filho chamado Renan)”.

A cobrança continua: “Mais ainda, compre merdas por aí. Não vou te visitar na Papuda”.

O pai ainda se mostra preocupado com o que o filho estaria fazendo naquele momento.

“Se a imprensa te descobrir aí, e o que está fazendo, vão comer seu fígado e o meu. Retorne imediatamente”.

Somente aí Eduardo Bolsonaro responde para o pai. E não gostou de ser comparado com o meio-irmão.

“Quer me dar esporro tudo bem. Vacilo foi meu. Achei que a eleição só fosse semana que vem. Me comparar com o merda do seu filho , calma lá”.

A imagem termina com uma pergunta do pai. “Voto em JHC ou João Fernando Coutinho?”

Os Bolsonaro

No ano passado, durante as eleições no Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro deixou outro filho, Flávio Bolsonaro, em uma saia justa, durante um debate em que Flávio se sentiu mal. Na ocasião, ele impediu que o filho fosse socorrido pela adversária, Jandira Feghali (PCdoB). “Essa médica de araque, não. Ela vai dar estricnina para meu filho”, disse ele à época. Jandira o chamou de “fascista”.

No dia seguinte, Jair Bolsonaro disse que seu filho Flavio passou mal porque não ouviu seus conselhos de reduzir reuniões no dia do debate. “Ele tem ficado na rua diariamente de 7h30 até 22h. Também estava tenso. Acabou dando uma broxada na largada”, ironizou, para depois completar: “Paga umas flexões aí”.

A assessoria de Jair Bolsonaro informou que ele deverá se pronunciar sobre a troca de mensagens no WhatsApp nesta quinta-feira e que planeja processar o fotógrafo Lula Marques por ter tornado públicas as informações contidas em seu celular.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jean Mannina

    Sensacionalismo barato não vende mais, Veja… #BolsonaroPresidente

    Curtir

  2. Dalton Ramos

    Parace até o Willian Bonner ao fazer a cobertura do Trump, ficou com uma cara de quem não estava acreditando na vitória… A veja é a mesma coisa, já está começando a detonar o Bolsonaro. Fico imaginado quando chegar às eleições, coitado do Bolsonaro, aparecerá cada coisa…. Força mito

    Curtir

  3. Só difamando mesmo hein!? Não acham um ato ilícito dos Bolsonaros aí partem para o ataque pessoal, já que as caras são completamente ficha limpa. Divulgaram do nada uma conversa pessoal entre o Jair e o Eduardo Bolsonaro, isso é invaso de privacidade! Bolsonaro2018!!!

    Curtir

  4. Tinha de apurar aonde o fiote do bolsa tava. Afinal, era horário de expediente.

    E que medo é esse de ser descoberto? Tava numa loja LGBT? KKKKKKKKKKK

    Curtir

  5. Mauricio Santana

    Ponto para o Bolsonaro!

    Curtir

  6. Pablo Brasil

    Isso que dá colocar estagiários burros para criar uma matéria, isso é uma montagem, reparem que na lateral do topo ela contém um erro que o aplicativo não tem, sem contar que um celular ao ser fotografado não transmite esse tipo de imagem… Já foi provado que isso é montagem…

    Curtir

  7. Não vejo nada que possa justificar esse estardalhaço da imprensa porca da esquerda. É puro artificialismo dessa corja ESQUERDISTA desesperada.

    Curtir

  8. Erson Leal Ramos

    Este tipo de gente emporcalha as dignas profissões de fotógrafo repórter e jornalista, das quais desemprenhei com muito orgulho. No meu tempo lutávamos pelo direito a informação e as liberdades de opinião e expressão. Numa das minhas prisões por me negar a entregar um filme com fotos de evento “ilegal” meu depoimento foi acompanhado por um oficial do E2 do Exército e ele me disse algo que me irrito muito: “o brasileiro não sabe ter e usar a liberdade. Você ainda vai se arrepender de ser contra o que estamos fazendo.” Na hora fiquei aborrecido e não conseguia ver como a liberdade de uma nação poderia ser prejudicial. Ainda vivia a presunção juvenil (tinha 22 anos na época) de querer mudar o mundo e demorei muito a ver que aquele oficial tinha razão. Olhando a história da humanidade é fácil constatar que a maior parte das ditaduras tiveram apoio ou começaram com o voto popular e alguns povos, inobstante tivessem avançado desenvolvimento em sua geração, apoiaram o cometimento das maiores atrocidades por seus líderes em tempos de liberdade plena. Infelizmente estamos indo para o mesmo caminho…

    Curtir

  9. FAKE NEWS!!!

    Curtir

  10. É, André PeTralha… Ainda vou ver, na primeira entrevista coletiva do futuro presidente Bolsonaro, os seus reporterezinhos levando uma lavada, e ouvindo: “VOCÊS SÃO FAKE NEWS!”. Quem viver verá…

    Curtir