Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nível de água baixa a 12% no Sistema Cantareira

Governo estadual já admite acionar esquema de racionamento de água que pode afetar 9 milhões de pessoas na Região Metropolitana de São Paulo

O nível de água nos reservatórios do Sistema Cantareira, que abastece parte da Grande São Paulo, baixou neste sábado à marca de 12%, e registrou novo recorde negativo histórico. O governo estadual e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) não descartam colocar em prática um esquema emergencial de racionamento, que pode afetar quase nove milhões de pessoas.

Em queda frequente, o nível dos reservatórios da Cantareira havia chegado a 12,2% nesta sexta-feira. Na quinta, o índice era de 12,4%. O governo de São Paulo e a Sabesp também estudam fazer uso do chamado “volume morto“, reservatório subterrâneo de água. Especialistas cogitam, no entanto, que o uso da água captada do fundo dos rios pode trazer riscos à saúde. Outro projeto, em fase de negociação com o governo do Rio de Janeiro, prevê a transposição de água da Represa Jaguari, no Vale do Paraíba, para encher os reservatórios da Cantareira.

O comitê de gestão da crise hídrica no Sistema Cantareira prevê que o volume útil acaba em meados de julho. A Sabesp, porém, faz projeções de que a água se esgote em junho.

Leia também:

Água: Volume morto do Cantareira pode causar doenças

Agência de Águas defende restrições para Cantareira

Municípios abastecidos pelo Sistema Cantareira

Os reservatórios são responsáveis pelo abastecimento de 8.8 milhões de pessoas da Grande São Paulo

Fonte: Sabesp