Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Motorista que atropelou ciclista tinha bebido, diz amigo

Condutor fugiu do local e jogou o membro amputado da vítima em um córrego; ele foi preso em flagrante e deve responder por quatro crimes

O amigo que estava no carro de Alex Siwek, de 21 anos, no momento do atropelamento do ciclista David Santos Souza, Diego de Luna Gaio, admitiu em depoimento neste domingo que eles consumiram “de três a quatro latinhas de cerveja cada um” antes do acidente que amputou o braço de Souza. No entanto, a casa noturna Josephine, onde os rapazes estavam antes do acidente, informou que Siwek comprou três doses de vodka e um energético e Gaio comprou duas doses e um energético.

O motorista se recusou a fazer os testes de bafômetro e de sangue e não confirmou o consumo de bebida alcóolica. Segundo a delegada responsável pela investigação, Priscila de Oliveira Rodrigues, ele afirmou que só responderia em julgamento, mas que “todos os policiais afirmaram que o rapaz estava sob efeito de álcool e que a fala dele estava confusa”.

A vítima foi encaminhada para o Hospital das Clínicas, está consciente e tem quadro estável, mas não há previsão de alta.

Crime – O choque aconteceu por volta das 5h30 do domingo quando Siwek e Gaio voltavam pela Avenida Paulista. De acordo com relatos de testemunhas no boletim de ocorrência, o carro dirigido pelos rapazes seguia em “zigue-zague” entre os cones de sinalização da ciclofaixa exclusiva para bicicletas, que costuma ser instalada na avenida aos domingos e feriados – a faixa seria aberta pouco mais de uma hora depois do acidente, às 7h, mas os cones já estavam dispostos. O carro seguiu assim até atingir a vítima, que teve o braço arrancado na colisão.

O motorista não prestou socorro e seguiu no sentido da estação Paraíso do metrô, numa das extremidades da avenida. Depois, deixou Gaio em casa e seguiu para o Córrego do Ipiranga, na Avenida Ricardo Jafet, na Zona Sul, onde jogou o braço amputado da vítima. Em seguida, o estudante deixou o carro em sua casa e foi até uma delegacia a pé dizendo que “havia matado um homem”. Segundo o boletim, ainda com sinais de embriaguez e sem saber que a vítima não tinha morrido, ele confessou ter jogado o membro do ciclista no córrego.

Siwek foi preso em flagrante e vai responder por quatro crimes: tentativa de homicídio simples, embriaguez ao volante, fuga do local do crime e por ter jogado o membro da vítima no rio. O crime é inafiançável, mas a Justiça pode liberar o estudante.

Ele foi transferido para um centro de detenção provisória às 10h30 desta segunda-feira. O advogado de Siwek, Pablo Naves Testoni, contou que conversou com o cliente rapidamente e que o rapaz “chorava muito e se dizia arrependido”. Testoni afirmou ainda que vai entrar com o pedido de liberdade provisória nesta segunda.

Manifestação – Um grupo de cerca de cem ciclistas realizou na tarde deste domingo um protesto na Avenida Paulista após o atropelamento de um ciclista na manhã deste domingo.Vários deles chegaram a deitar no asfalto para protestar. O grupo seguiu para delegacia onde o motorista que atropelou o ciclista prestou depoimento.