Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Minha candidatura está consolidada’, diz Gilberto Kassab

Ex-prefeito admite que vai concorrer ao governo de SP nas eleições

O ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD, Gilberto Kassab, admitiu nesta quinta-feira ao site de VEJA que será candidato ao governo paulista nas eleições de outubro. Kassab afirmou que pretende montar uma chapa pura, com a ex-vice-prefeita da capital, Alda Marco Antonio, como sua candidata a vice.

“Terminamos a fase de consulta e o partido decidiu ter candidato próprio, com a Alda na vice, o Meirelles ao Senado e o [Ricardo] Patah como suplente [de senador]. Entendo que, se a vontade é essa, a [minha] candidatura está consolidada”, disse Kassab. Segundo ele, o anúncio só não foi formalizado ainda em respeito à legislação eleitoral. “Só não formalizamos por questões jurídicas, para não ter problema.”

Leia também:

PT festeja decisão de Kassab de disputar governo de SP

Kassab recebeu ‘fortuna’ da Controlar, afirma testemunha

Reação petista – Nesta quinta-feira, o jornal Folha de S.Paulo noticiou que Kassab havia batido o martelo e decidido entrar na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. A confirmação da candidatura foi comemorada na cúpula do PT. Os petistas avaliam que, com Kassab no páreo, aumentam as chances de a eleição contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ser decidida no segundo turno. O PT lançará o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, como candidato. O presidente da Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, será o candidato do PMDB. PSB-Rede e o PSOL também devem indicar candidatos próprios.

O ex-prefeito paulistano aposta que o PSD terá tempo de TV suficiente para concorrer “sem alianças”. A ideia dele é ampliar a bancada de deputados em São Paulo e em Brasília. O partido tem a terceira maior bancada na Câmara dos Deputados para efeitos de contagem do tempo no horário eleitoral – são 49 parlamentares, o que deve render cerca de 1 minuto e 51 segundos por bloco de propaganda, mesma exposição do PSDB. Simultaneamente, Kassab afirma que o PSD seguirá apoiando a presidente Dilma Rousseff em Brasília: “Estamos fechados com ela”.