Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marmita ‘padrão Fifa’ causa intoxicação em 36 voluntários

Grupo passou mal após ingerir refeição fornecida pela entidade em Brasília, na véspera do jogo entre Suíça e Equador

Trinta e seis voluntários da Fifa em Brasília sofreram intoxicação alimentar no sábado, depois de consumir refeições servidas pela organização da Copa do Mundo, informou a Vigilância Sanitária do Distrito Federal nesta terça-feira.

Os sintomas apresentados pelos voluntários foram dores abdominais, diarreia e vômito – característicos de intoxicação bacteriana, de acordo com a Vigilância Sanitária -, após o almoço servido a cerca de 300 pessoas no dia anterior ao duelo entre Suíça e Equador no estádio Mané Garrincha. A refeição era composta de compostas de arroz, feijão, carne, frango e macarrão com molho branco, informou à Agência Brasil o gerente de Alimentos da Vigilância Sanitária do Distrito Federal, André Godoy. “Os maiores suspeitos são a carne e o molho branco. Mas foi um problema pontual, já que não voltou a ocorrer no domingo e na segunda-feira)”, explicou.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o caso de intoxicação alimentar em Brasília foi o único relacionado à organização da Copa do Mundo relatado até o momento. Inspeção realizada no domingo no ginásio Nilson Nelson, onde as refeições são servidas, indicou que as instalações são adequadas e uma nutricionista acompanha a preparação dos alimentos. Em nota, a Fifa informou que o Comitê Organizador Local (COL) presta todo apoio necessário para que a Vigilância Sanitária possa apurar o que causou o mal-estar.

As refeições são fornecidas à Fifa pela empresa Sapore, com sede em Campinas, e passam por um processo de supercongelamento antes de serem enviadas em caminhões de São Paulo para as cidades-sede do Mundial. O laudo sobre a causa do incidente será divulgado na quarta-feira. “Assim que o resultado da análise sair, acompanharemos de perto as medidas a serem tomadas pela empresa terceirizada contratada para impedir que a situação se repita”, informa a nota da Fifa.