Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Marina volta a rebater acusações de que é contra o pré-sal

Em ato de campanha no Rio, a candidata à Presidência do PSB defendeu exploração petrolíferas e as regras de aplicação de royalties

Por Da Redação 11 set 2014, 22h28

A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, se defendeu das acusações da propaganda petista de que seria contra a exploração do petróleo na camada pré-sal. A presidenciável participou de um ato na noite desta quinta-feira no Clube de Engenharia, em que se empenhou para rebater “boatos”. Essas acusações irritaram a campanha pessebista, pelo receio da perda de votos no estado do Rio de Janeiro, o maior produtor nacional de petróleo, onde ela lidera as pesquisas de intenções de voto.

“As eleições estão sendo turvadas por uma série de mentiras, calúnias, difamações, para fazer cortina de fumaça em relação à corrupção que ocorre dentro de uma empresa que é respeitada (a Petrobras).”, afirmou.

Em discurso a centenas de funcionários públicos, engenheiros e militantes, Marina defendeu a exploração do pré-sal, sem prejuízo do investimento em fontes de energia renováveis. Garantiu também que vai manter as regras de aplicação e distribuição dos royalties do petróleo, para educação e saúde. “Vamos, sim, explorar o pré-sal, valorizar recursos para saúde e educação e recuperar a Petrobras que foi assacada pelo roubo pela incompetência. Dissemos isso, mas dissemos também que vamos investir em energia limpa, renovável e segura”, afirmou.

Leia também:

Marina: PT colocou diretor para assaltar cofres da Petrobras

Continua após a publicidade

Datafolha: no auge da pancadaria, cenário é estável

Dilma: ‘Autonomia do BC vai aumentar juros e reduzir emprego’

Em entrevista a jornalistas, ela se comprometeu a manter leilões de campos do petróleo do pré-sal e as regras de conteúdo local para a contratação de máquinas e equipamentos pela Petrobras. Também garantiu manter investigações sobre irregularidades na Petrobras e falou também, de maneira genérica, em criar mecanismos de transparência para combater a corrupção. Ao ser questionada sobre como impedir a prática de irregularidades por diretores, ela defendeu simplesmente selecionar executivos “recebendo currículos de pessoas honestas”.

O candidato a vice-presidente pelo PSB, Beto Albuquerque, ironizou um ato programado por sindicatos aliados ao PT para a próxima segunda-feira, supostamente em defesa do petróleo e do pré-sal. De forma provocativa, ele sugeriu que os organizadores convidassem o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso no Paraná por envolvimento em um megaesquema de corrupção e desvio de recursos da estatal. “Viemos dizer aos que vão se reunir na segunda-feira na Cinelândia: nós somos a favor do pré-sal. Amamos a Petrobras. Somos contrários à corrupção que está roendo esta empresa. Não sei se seria coerente convidarem o Paulo Roberto Costa para este ato”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade