Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mãe de Eliza Samúdio diz ter medo do goleiro Bruno

Para Sônia, a história só vai terminar quando o goleiro disser onde estão os restos mortais de Eliza

A mãe de Eliza Samudio, Sônia de Fátima Moura, quer o goleiro Bruno de volta à prisão por temer ser, juntamente com o neto, a próxima vítima do goleiro. “Não acho verdade essa história de que está recuperado. Bruno é um dissimulado”, disse ela, que mora em Campo Grande com Bruninho, filho de Eliza com o atleta. O receio já fez a família de Sônia mudar a rotina.

Veja também

Na sexta-feira, 3, a advogada da mãe de Eliza, Maria Lúcia Borges Gomes, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o habeas corpus que o colocou em liberdade.  Sônia afirma acreditar que não está segura com Bruno fora da prisão e destaca que a ação judicial que levou ao embate entre Eliza e o goleiro, o pagamento de pensão alimentícia para o neto, está agora sob sua responsabilidade.

“O que garante que a história da minha filha não pode se repetir comigo e meu neto?”, questiona. Hoje, ela trabalha com organização de festas. “Muitos acham que meu neto tem pensão. Não tem. Vivemos do nosso trabalho e com dignidade, porque o mais importante na vida é poder deitar à noite com a consciência limpa.”

Para Sônia, a história só vai terminar quando ele disser onde estão os restos mortais de Eliza. “A Justiça que o colocou nas ruas deveria pressionar para conseguir essa informação”, defende. “Se fosse verdade (a afirmação de que Bruno se recuperou), a primeira coisa que deveria fazer é revelar onde está o corpo de Eliza, para darmos a ela um enterro digno.”

Cuidados

Com medo, Sônia já mudou a rotina. “Avisei ao Bruninho (hoje com 7 anos) para não chegar perto do portão e não sair da escola com ninguém que não seja eu ou meu marido”, diz. “Ao que parece, o goleiro vai ficar solto e, nós, presos.”

O menino sabe que a mãe morreu e que o pai estava preso por ter mandado matá-la. “Mas evitamos tocar no assunto. Bruninho sabe que o pai deixou a prisão, mas nos últimos dias temos tentado manter a televisão desligada”, conta a avó.

Ela também diz ser a favor do exame de DNA para saber se Bruno é pai do neto. “Mas desde que seja aqui, com material recolhido na cidade e acompanhamento de tudo pela família.”

Bruno foi solto graças a liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, que considerou o fato de o jogador estar preso havia quase sete anos sem que o júri que o condenou tivesse sido referendado em segunda instância. Agora, o habeas corpus terá de ser analisado pelo plenário do STF. A defesa de Bruno foi procurada, mas não foi localizada.

(Com Estadão Conteúdo)

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ela tem um pouco de razão na sua reflexão, mas a pensão do bruninho tem q. ser mantida e o obrigada pela lei.O Bruno preso quem vai pagar a pensão?

    Curtir

  2. Paulo Cesar Martins

    Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha.

    Curtir

  3. Oswald de Andrade

    o certo seria que fosse um perigo real pro Bruno ficar solto e ser morto, ele iria preferir ficar preso

    Curtir

  4. Oswald de Andrade

    Alex Lage, acredito que o Bruno ainda tenha bastante dinheiro pra pagar a pensão, mesmo preso.. mas se fosse o caso, a justiça mandaria um parente próximo do Bruno pagar

    Curtir

  5. Pelo raciocínio da mãe, para ela e o neto ficarem definitivamente fora de perigo, Bruno teria que pegar pena de morte ou prisão perpétua o que , infelizmente , ainda não existe no Brasil e é o que esse animal merecia

    Curtir

  6. Eu dispensaria a pensão desse monstro só para vê-lo atrás das grades pelo resto da vida. Dinheiro nenhum paga uma vida.

    Curtir

  7. Ataíde Jorge de Oliveira

    Ou : A PEN$ãO [ A ]
    OU : O NeTTo [ B ]
    ººººººººººººººº
    [ C ] => Ou : nda
    Senhora S.MourA

    Curtir

  8. Não tenha medo briga por Justiça que ela seja feita,sabemos que temos uma acovardada por interesse próprio é o que nos mostram esses juizes.

    Curtir

  9. Nathan Khornnes

    Veja e’ uma publicacao hipocrita, porque ela apenas publica o que lhe interessa publicar. Assim, por que nao acabar com a pa’gina “Comentarios”? Seria mais honesto, nao? Eu nao sou nem quero ser, nunca mais, assinante dessa revistinha fascista.

    Curtir

  10. Nathan Khornnes

    Vejam voces, assinantes ou leitores de VEJA. Eu publiquei um comentario sobre o goleiro Bruno, por duas vezes, e nao foi publicado. Mas bastou eu tecer comentarios sobre a dita publicacao para que o meu comentario fosse publicado. Isto e’, na minha visao, imprensa fascista.

    Curtir