Clique e assine a partir de 9,90/mês

Lancha naufraga com 129 pessoas na Bahia – 18 morrem

Embarcação fazia travessia entre cidades de Salvador e Vera Cruz; Marinha informa que não havia previsão de mau tempo na região

Por Da Redação - Atualizado em 24 ago 2017, 18h26 - Publicado em 24 ago 2017, 10h04

Uma lancha que fazia a travessia de passageiros entre a cidade de Salvador e a praia de Mar Grande, em Vera Cruz, na Bahia, virou na manhã desta quarta-feira. A embarcação é uma das que fazem o transporte diário na região da Baía de Todos os Santos.

No início da tarde, o comandante da Marinha Flávio Almeida fez uma revisão do número de mortos e declarou que há, até o momento, 18 vítimas fatais confirmadas. Horas antes,  autoridades chegaram a informar o número de 22 pessoas, mas o órgão decidiu considerar apenas os corpos que deram entrada junto ao Instituto Médico-Legal (IML) local. A força militar confirma que já foram resgatados 21 pessoas, mas ressalta que dezenas de outras conseguiram chegar à margem com a ajuda de embarcações particulares ou à nado, dada a relativa proximidade do local onde o acidente ocorreu.

Ao todo, 129 pessoas estavam na embarcação. A Capitania dos Portos informa que foi acionada às 7h45 da manhã e enviou três embarcações ao local, que estão fazendo o resgate dos passageiros. Outros três navios, da Base Militar de Aratu, também foram direcionados ao local.

Não existem ainda hipóteses para o acidente, mas a Marinha informa que apesar da região ter ocorrência eventual de ventos e mar agitado, não havia aviso de risco de mau tempo para a operação da travessia. O resgate está sendo coordenado com o Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar, com o Corpo de Bombeiros, e os serviços de atendimento médico.

Continua após a publicidade

A avaliação da lancha será feita pela Marinha, que analisará a regularização da embarcação e se a mesma operava com número de passageiros acima do permitido. A Secretaria de Segurança Pública informou que um inquérito será aberto para que as causas do acidente sejam apuradas.

A Travessia Salvador-Mar Grande é operada por uma empresa privada, a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab). Procurada por VEJA, a Astramab ainda não se posicionou a respeito do ocorrido.

Políticos se manifestam

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), postaram notas de pesar em suas respectivas contas nas redes sociais. “Todas as forças do Governo do Estado estão mobilizadas para dar assistência e prestar socorro às vítimas. Estou acompanhando pessoalmente esta difícil operação desde cedo e todas as providências foram tomadas imediatamente, com o reforço dos nossos efetivos nas áreas da segurança e da saúde pública”, escreveu o governador, que decretou luto oficial de três dias.

“Todos os órgãos da Prefeitura estão envolvidos para ajudar nessa hora difícil. Uma equipe de psicólogos e assistentes da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza está no local para prestar atendimento social e psicológico. Também mobilizamos 5 ambulâncias do Samu (2 em Mar Grande e 3 em Salvador) e mais uma “ambulancha” para prestar socorro. As UPAs estão preparadas para atender às vítimas.”, informou ACM Neto.

Continua após a publicidade

“A Presidência da República lamenta profundamente a perda trágica de dezenas de vidas em acidentes com embarcações no Pará e na Bahia. O presidente Michel Temer manifesta, neste momento de dor, sua solidariedade às famílias das vítimas e coloca a estrutura do governo federal para ajudar nas buscas e no apoio aos sobreviventes”, diz a nota oficial da Secretaria de Comunicação Social.

Outro barco com passageiros naufragou nesta quarta-feira no Pará:

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade