Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça liberta presos na Operação Concutare

Foram liberados os secretários de Meio Ambiente estadual e de Porto Alegre, além de outros oito envolvidos que estavam detidos desde segunda-feira

A Justiça do Rio Grande do Sul concedeu, na tarde desta sexta-feira, liberdade aos dez envolvidos em fraudes na emissão de licenças ambientais no estado, que ainda estavam detidos pela Polícia Federal dentro da Operação Concutare. A decisão coloca em liberdade os secretários de Meio Ambiente Carlos Fernando Niedersberg (estado) e Luiz Fernando Záchia (Prefeitura de Porto Alegre).

A ordem de conceder alvará de soltura é da juíza Karine da Silva Cordeiro. A magistrada entendeu que, como os presos já haviam prestado depoimento, e a PF colhido as provas durante a deflagração da Concutare, na segunda-feira, não existe mais necessidade de mantê-los sob custódia.

Mais cedo, a Polícia Federal havia solicitado a extensão do prazo de prisão temporária dos dez presos – no total, dezoito pessoas haviam sido detidas na segunda, sendo oito liberadas ao longo da semana. O prazo dos mandados expedidos para a operação venceria à meia-noite desta sexta-feira, quando completariam os cinco dias previstos em lei para a prisão temporária.

Na Operação Concutare, a Polícia Federal investiga a cobrança e o pagamento de propina, entre servidores públicos, consultores ambientais e empresários, para concessão de licenças ambientais, liberação de empreendimentos e extração de areia no estado.

Leia também:

Leia também: PF indicia 22 suspeitos na Operação Concutare