Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça aceita denúncia contra policiais do Denarc

Juiz da 6ª Vara Criminal de Campinas, José Guilherme Di Rienzo Marrey, acatou os pedidos de prisão preventiva de 21 acusados denunciados pelo MP

A Justiça aceitou, nesta terça-feira, denúncia contra 23 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas em Campinas, no interior de São Paulo. Entre os acusados estão policiais civis do Departamento Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e o sequestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, que está preso desde 2002.

O juiz da 6ª Vara Criminal de Campinas, José Guilherme Di Rienzo Marrey, acatou os pedidos de prisão preventiva de 21 dos acusados denunciados pelo Ministério Público – onze deles são policiais.

Os denunciados responderão por crimes de formação de quadrilha, extorsão mediante sequestro, roubo, falsidade ideológica, tortura e associação ao tráfico. Atualmente, apenas seis policiais estão presos na Corregedoria da Polícia Civil. Sete agentes já foram liberados.

Deflagrada no dia 15 de julho, a operação conduzida pelo Grupo de Atuação no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, prendeu treze policiais acusados de envolvimento com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e com traficantes de Campinas – Andinho é apontado como o líder da quadrilha campineira.

Segundo investigações do MP, o esquema criminoso funcionava da seguinte maneira: agentes do Denarc extorquiam e sequestravam traficantes e seus familiares em troca de resgate, além de cobrar propinas para permitir o comércio de drogas em suas áreas de influência.

No relatório entregue à Justiça, estima-se que o esquema tenha rendido cerca de 2 milhões de reais aos policiais.

Leia também:

MP abre inquérito de improbidade contra delegados do Denarc

Após prisões de agentes, Denarc é reformulado

(Com Estadão Conteúdo)