Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Juristas e políticos lamentam morte de Hélio Bicudo

Um dos fundadores do PT e coautor do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, advogado morreu aos 96 anos, em São Paulo

Advogados, políticos e movimentos lamentaram o falecimento do jurista Hélio Bicudo, morto aos 96 anos na madrugada desta terça-feira, 31, em São Paulo. Bicudo sofria de complicações cardíacas e estava fragilizado desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), em 2010. Um dos fundadores do PT, ele assinou o pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, deposta em 2016. 

Uma das autoras da ação contra a petista, ao lado de Hélio Bicudo e de Miguel Reale Júnior, a advogada Janaina Paschoal lamentou a perda e classificou o jurista como “herói brasileiro”

O presidente Michel Temer publicou no Twitter que o Brasil perdeu “um homem notável” e Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, citou, por meio de nota, a “coragem” do advogado em defesa da “democracia no nosso país”. A senadora Marta Suplicy (MDB-SP), que teve Bicudo como vice enquanto foi prefeita de São Paulo, classificou-o como “grande defensor dos direitos humanos”, também por meio do Twitter.

Ainda na rede social, o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM) ressaltou a atuação de Hélio Bicudo no processo de impeachment de Dilma. “Recebi com muita tristeza a notícia do falecimento do Dr. Hélio Bicudo que, ao final da vida, reviu com honestidade e franqueza seus posicionamentos ideológicos para se juntar a milhões de brasileiros, pedindo o fim de um regime corrupto e nefasto”, escreveu.

Para Juliana Fincatti Moreira Santoro, advogada, mestre em Direitos Difusos e Coletivos pela PUC-SP e ex-presidente da Comissão Justiça e Paz São Paulo, o jurista foi um “exemplo de luta pioneira pelos Direitos Humanos” e “personificou o combate das arbitrariedades da ditadura militar”.

Maristela Basso, professora de Direito da USP, elogiou “um nobre de alma, espírito e intelecto”. Disse, ainda, que “em tempos obscuros e incertos”, o Brasil perdeu um “farol”.

Vem Pra Rua e MBL também se manifestam

Por meio de nota, o Vem Pra Rua, um dos movimentos que lideraram os protestos contra o governo de Dilma Rousseff, disse que Hélio Bicudo “fez parte de um seleto grupo de brasileiras e brasileiros que defendem a democracia no Brasil acima dos interesses pessoais”.

Já o Movimento Brasil Livre (MBL), outro que participou das manifestações de 2016, também lembrou o papel de Bicudo no impeachment da petista. Para o movimento, o jurista foi um “advogado com importante papel na defesa de direitos fundamentais e coautor do pedido de impeachment que, ancorado nas manifestações que tomaram as ruas do Brasil, levou a cabo o governo mais corrupto de toda nossa história”.