Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jucá diz que registros não confirmam visita citada por Lina

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta quinta-feira que os registros no sistema de segurança do Palácio do Planalto não confirmam a presença da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira na época em que ela diz ter se encontrado com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Jucá confirmou que existem registros da presença de Lina no mês de outubro no ano passado. Ele negou que haja provas de que ela tenha estado no local nos meses de novembro e dezembro – o que corresponderia ao “final do ano”, época em que teria ocorrido o encontro citado por Lina. De acordo com o senador, há também registros da presença de Lina em janeiro, fevereiro e maio deste ano.

Lina afirma que teve o encontro com Dilma no final de 2008, mas não especifica o mês. Na reunião, a ministra teria pedido à então secretária da Receita a “agilização” das investigações sobre o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A ex-secretária afirma ter entendido a solicitação como um recado “para encerrar” as investigações envolvendo a família do peemedebista. Dilma nega categoricamente o encontro.

Em outubro, Lina compareceu ao Planalto no dia 9, tendo entrado às 10h13 e saído às 11h29, segundo Jucá. “Nenhuma dessas datas bate com o que ela insinuou, que teria havido em dezembro. Com a palavra a doutora Lina”, disse o senador. Ele ainda afirmou que o contrato de segurança do Palácio do Planalto não obriga a gravação das imagens do circuito interno por período superior a seis meses. As exceções são os dados escritos, como o registro de entrada e saída de pessoas e veículos.

Na terça-feira, o DEM protocolou o requerimento de convocação do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Jorge Félix para que ele explique suas afirmações de que não há registros da entrada de Lina no Planalto, no fim de 2008, porque o órgão não guarda gravações e registros do sistema de segurança por mais de 30 dias. Já o PPS apresentou pedido formal para que Félix apresente as cópias de segurança (backup) das imagens registradas no Planalto nos últimos seis meses de 2008.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Pauloe também durante seu depoimento à Comissão de Constituição e Justiça do Senado – Lina disse que o suposto encontro ocorreu no final do ano passado, mas não soube precisar em que data. Para Jucá, outubro não pode ser considerado “final do ano”. “Usar outubro como final do ano é um pouco forçação de barra. Cabe à doutora Lina dizer a data. Quem está acusando, tem que dizer pelo menos a data. Para mim, essa conversa não houve, está comprovado pela ausência de provas”, afirmou.