Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Henry reclamou com o pai que Jairinho o ‘abraçava forte’

Garoto pediu a Leniel Borel de Almeida Junior para falar com o padrasto sobre as agressões 50 dias antes de morrer

Por Cássio Bruno 6 out 2021, 18h56

Leniel Borel de Almeida Junior, pai do menino Henry, foi a quarta testemunha de acusação a depor no Tribunal de Justiça do Rio nesta quarta-feira, 6. Na audiência, emocionado, Leniel contou que o filho pediu a ele para falar com Jairinho sobre as agressões 50 dias antes de morrer. Segundo Leniel, Henry relatou que o “tio (Jairinho) o abraçava forte”.

“Eu disse a Monique que eu não queria que o Jairo ficasse sozinho com Henry”, afirmou Leniel.

O pai de Henry entrou na audiência de cabeça baixa, sem olhar para Monique. “Meu filho era uma criança dócil, amorosa”, disse. Leniel fez ainda um histórico sobre seu relacionamento com Monique, que durou 10 anos.

O ex-vereador da capital Jairo Santos Santos Júnior, o Doutor Jairinho, e Monique Medeiros da Costa e Silva, a mãe de Henry, são acusados pela morte da criança na madrugada do dia 8 de março. Eles respondem por homicídio triplamente qualificado, tortura e coação de testemunhas. O laudo da necropsia apontou 23 lesões por ação violenta no corpo de Henry, que chegou morto ao hospital. O casal está preso desde abril deste ano.

Continua após a publicidade

Publicidade