Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ex-diretor da Petrobras é transferido para presídio

Na cadeia de Piraquara, no interior do PR, Paulo Roberto Costa ficará em cela para presos com ensino superior

Por Laryssa Borges 25 abr 2014, 19h58

O juiz Sergio Moro, responsável pelo inquérito da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, autorizou nesta sexta-feira que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa seja transferido da carceragem da PF em Curitiba para o Presídio Estadual de Piraquara, a cerca de 30 quilômetros da capital paranaense.

A transferência de Costa ocorre depois de seus advogados terem divulgado carta em que o ex-diretor da Petrobras afirma ter sido ameaçado por agentes da Polícia Federal, que teriam afirmado que ele seria transferido para o presídio federal de segurança máxima de Catanduvas. Na cadeia estadual de Piraquara, Paulo Roberto Costa ficará na ala reservada a detentos com ensino superior.

Em sua decisão, o juiz afirma que a transferência do ex-diretor da Petrobras não representa uma regalia ao preso, e sim um mecanismo de segurança. “Não se trata de aqui buscar privilégio ao preso, mas as circunstâncias recomendam, para segurança dele, que fique separado de presos comuns”, disse.

Leia também:

Justiça aceita denúncia contra ex-diretor da Petrobras e Youssef

No despacho, o magistrado também criticou o fato de a suposta ameaça dos policiais não ter sido comunicada diretamente à justiça, e sim à imprensa, mas afirmou que, ainda assim, Costa não deve ficar indefinidamente na carceragem da PF. “A carceragem é cela de mera passagem para presos provisórios e não é, de fato, adequada para permanência do preso por longo período”.

Depoimentos – Também nesta sexta-feira, Sergio Moro determinou que o doleiro Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa sejam intimados para o depoimento das testemunhas de acusação no processo sobre a Operação Lava-Jato. As oitivas estão agendadas para os dias 4 e 9 de junho.

Continua após a publicidade
Publicidade