Clique e assine a partir de 9,90/mês

ETA mantém renúncia às armas e acusa Madri e Paris

Por Rafa Rivas - 9 jul 2012, 08h34

A organização separatista armada basca ETA afirmou nesta segunda-feira em um comunicado que mantém a decisão de abandonar a violência e acusou Espanha e França de “rejeitar o diálogo”, além de “paralisar e obstruir o processo” de abertura do diálogo.

“Além de manter a decisão adotada em 20 de outubro”, na qual o ETA anunciou a renúncia à violência, o texto enviado ao jornal separatista basco Gara afirma que “os governos espanhol e francês não deram resposta positiva alguma”.

“Ao contrário, além de rejeitar o diálogo, mantêm a estratégia de paralisar e obstruir o processo”, afirma a nota, que acusa os “serviços de inteligência das Forças Armadas de Espanha e França, diferentes juízes, associações sedentas de vingança e determinados meios de comunicação de querer frustrar uma oportunidade para a paz”.

Nos últimos dias, sete ativistas do ETA foram detidos na Grã-Bretanha, França e Espanha.

Publicidade