Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Escoltados pela PF, vereadores tomam posse e voltam para a cadeia

Cinco parlamentares da Câmara de Foz do Iguaçu (PR), reeleitos em 2016, estão presos por suspeita de envolvimento em esquema de corrupção na prefeitura

Cinco vereadores de Foz do Iguaçu (PR) reeleitos no ano passado saíram da cadeia, onde estavam presos por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção, foram até a Câmara escoltados pela Polícia Federal (PF), tomaram posse com os policiais ao fundo e voltaram para a prisão.

A posse, ocorrida na manhã desta quarta-feira, foi feita por determinação da juíza Juliana Arantes Zanin Vieira, da Vara de Execuções Penais e Corregedoria dos Presídios de Foz do Iguaçu, e ocorreu sob forte tumulto. Em um vídeo gravado no momento da posse, é possível ouvir manifestantes vaiando os vereadores enquanto faziam o juramento. Dezenas de pessoas ocuparam a galeria da Câmara com cartazes contra a iniciativa aos gritos de “vergonha” e de pedidos de renúncia dos parlamentares.

Os vereadores – Anice Gazzaoui (PTN), Darci Siqueira (PTN), Rudinei de Moura (PEN), Edilio Dall’Agnol (PSC) e Luiz Queiroga (DEM) – estão presos desde do dia 15 de dezembro do ano passado quando a PF deflagrou a 5ª fase da Operação Pecúlio, que investigava parlamentares suspeitos de terem recebido propina para aprovar projetos de interesse da prefeitura e de terem participação em fraudes de licitações para a área da saúde. Os parlamentares fizeram o juramento, assinaram o livro de posse e saíram escoltados.

Na 5ª fase da operação, batizada de Nipoti, doze dos quinze vereadores da cidade foram presos por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção. A 6ª fase da operação, deflagrada no dia seguinte às prisões, conduziu coercitivamente dois dos três vereadores que permaneceram na Câmara para prestarem esclarecimentos à PF, mas foram liberados no mesmo dia.

Operação Pecúlio

A 1ª fase da Operação Pecúlio foi deflagrada em abril de 2016 com o objetivo de desarticular um esquema de corrupção em contratos para realização de obras junto à prefeitura com recursos públicos federais. O então prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB), também foi preso, junto com empresários, secretários e servidores municipais na 4ª fase da operação.

Atualmente, Pereira cumpre prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Com o fim do mandato, o ex-prefeito de Foz do Iguaçu perdeu o foro privilegiado e será julgado pela 3ª Vara Criminal Federal. O processo, enquanto Pereira ocupava o cargo, estava com o Tribunal Regional Eleitoral da 4ª região (TRE-4).

Veja o vídeo da posse sob protesto:

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gilmar Lopes Vieira Vieira

    ACHO ISTO UMA VERGONHA PARA O PAIZ.. MAS AFINAL TRATA-DO PAIZ MAIS CORRUPITO DO MUNDO, FAZER O QUÊ.

    Curtir

  2. Joari Normando

    solução? banho! banho de sangue.

    Curtir

  3. Marcio Souza

    Onde está o mandatário do tribunal eleitoral para simplesmente aplicar a lei de ficha limpa nestes vagabundos? Estão vendo? Todos são corruptos. O povo deveria ter um um meio de penalizar qualquer autoridade deste pais; que não estivesse desempenhando sua função a contento. Só as polícias trabalham em vão; pois daqui a pouco estes vagabundos vão estar a solta.

    Curtir

  4. João Paulo Carvalho

    Vai chegar uma hora que vai estar todo mundo preso, e a minha gatinha persa vai ser chamada para a linha sucessória.

    Curtir

  5. Ezequiel lima feitosa

    A única classe que trabalha neste país é a polícia,quando a polícia parar de trabalhar o Brasil encontrará o futuro que merece.

    Curtir

  6. adriano ribeiro de almeida

    Tem 500 anos que somos governados (ou melhor dizendo…roubados) por brasileiros e não prestou. Solução : sermos governados por uma junta de japoneses, norte-americanos, israelensens e alemães! Outra solução também podemos pedir pro Trump anexar o Brasil aos Estados Unidos da América.

    Curtir

  7. José Antonio Debon

    Tenho a impressão de que é possível identificar os eleitores desses vereadores e consequentemente cobrar desses eleitores o ressarcimento dos salários que esses vereadores vão receber do poder público.

    Curtir

  8. Com essa Justiça que temos, que libera marginais para ficar preso e recebendo salário do poder público, o que se pode esperar do país ? O povo dessas cidades tem que ir às ruas, ao forúm, à câmara municipal e impedir essa vergonha.

    Curtir

  9. José Carlos Lopes de Oliveira

    Nem circo mambembe tem tanta palhaçada como a justiça brasileira. Isso é uma vergonha. Não para eles, que com certeza não sabem o que é isso, mas é uma vergonha para todos nós brasileiros honestos, decentes e trabalhadores.

    Curtir