Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Escola esquece autista em sala de aula em SP

Guarda municipal encontrou adolescente de 17 anos no escuro e agitado

Um adolescente de 17 anos, portador de autismo, foi encontrando abandonado, no final da tarde desta segunda-feira, no interior do Centro de Reabilitação Social Municipal Renato Feliphe Hanai Mendes, no Jardim Vitória, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

Eram 17 horas quando funcionários do estabelecimento ligaram para os parentes do menor informando que a van que faz o transporte dos alunos havia quebrado e que alguém da família deveria ir até o Centro de Reabilitação para buscá-lo. Quando os parentes do adolescente chegaram, o estabelecimento já estava fechado. Eles voltaram para casa pensando que outro veículo havia levado o rapaz, porém o jovem não voltou para a residência.

Segundo o guarda municipal Marcelo Blanco, os parentes foram à delegacia prestar queixa, porém o delegado disse que deveriam esperar mais um pouco para poder registrar boletim de ocorrência de desaparecimento. Já estava escuro quando a Guarda Municipal foi acionada pela família do adolescente.

“Nós fomos até a escola e, como já estava fechada e não havia nenhum vigia, resolvemos pular o muro. Nós iluminamos a janela da secretaria e o rapaz então puxou a cortina e pudemos vê-lo. No momento em que entramos no local ele estava muito agitado e espalhado tudo lá dentro”, relatou Blanco.

Os parentes disseram aos guardas que o adolescente estava com fome e já havia passado do horário de tomar os medicamentos. Os pais do rapaz, segundo Blanco, são surdos-mudos e a foi irmã mais velha dele, quem registrou queixa após a localização do jovem. A reportagem tentou falar com a diretora do CRS, Selma Basílio, mas ela não foi encontrada.

“Nós conversamos com a Selma, que disse que não pôde estar nesta segunda-feira na escola porque teve que resolver alguns assuntos pessoais. Foi justamente neste dia que ocorreu o problema”, acrescentou o guarda municipal. O caso foi registrado como “periclitação de vida e saúde de outrem”.

(Com Agência Estado)