Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dívidas, previdência e investimento chinês nas manchetes do dia

Maior parte da dívida dos brasileiros inadimplentes foi contraída nos últimos três anos, período de agravamento da crise econômica

Por Da redação 17 jul 2017, 07h53

A inadimplência recorde, que atinge 61 milhões de pessoas no Brasil, está na manchete do Estado de S.Paulo nesta segunda-feira. Segundo o jornal, a maior parte das dívidas foi contraída nos últimos três anos, período de agravamento da crise econômica. Na Folha de S.Paulo, estudo mostra que, caso o teto para a previdência atingisse 100% dos servidores públicos, corte de despesas seria de R$ 50 bilhões por ano. No Globo, reportagem revela que privatização da Cedae e compra de fatia da Light estão na mira de investidores chineses. Com a recessão econômica, Brasil ficou mais barato para estrangeiros.

O Estado de S.Paulo
Dívida de inadimplentes supera em 3 vezes o salário
O brasileiro inadimplente – com mais de 90 dias de atraso nos compromissos – deve, em média, três vezes o que ganha. A maior parte das dívidas foi feita nos últimos três anos, período que coincide com o agravamento da crise econômica. É o que revela pesquisa da empresa de recuperação de crédito Recovery, feita pelo instituto Data Popular. A inadimplência atinge 61 milhões de pessoas.

Folha de S.Paulo
Teto a todo aposentado geraria R$ 50 bi por ano
O governo economizaria ao menos R$ 50 bilhões por ano em despesas da Previdência se todos os benefícios concedidos já fossem limitados ao teto, segundo um estudo do Ipea. O trabalho visa dar a dimensão do custo de garantir uma renda maior aos servidores que ganham acima do limite, estabelecido em R$ 5.531,31 em 2017. O limite também reduziria a desigualdade. Em 2015,benefícios acima do teto eram só 3,5% do total concedido, mas representavam 20,9% da renda de aposentadorias. 

PT e PSDB se mantiveram reféns do atraso
Em entrevista, ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) diz que os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso erraram por não terem criado bases mínimas para uma convivência entre petistas e tucanos, tornando- se “reféns do atraso”. Ele defende a candidatura de Lula e desconversa sobre as próprias pretensões.

O Globo
Chineses planejam investir R$ 32 bi no Rio
Depois de entrar no consórcio do Galeão e anunciar a aliança com a Petrobras para construir uma refinaria no Comperj, os chineses pretendem estender seus negócios no estado. O projeto de privatização da Cedae, a venda da Light, a injeção de capital na Oi e o término da construção da usina nuclear de Angra 3 estão na mira. Se forem concretizadas, essas transações podem resultar em pelo menos R$ 32 bilhões em investimentos.

Valor Econômico
Governo deve retomar agenda para a aviação
O governo deve retomar no próximo mês as medidas para aumentar a competitividade do setor aéreo que ficaram paralisadas após o agravamento da crise política com a delação de Joesley Batista.

Estado de Minas
Faroeste à mineira
Ladrões em bandos organizados já agiram quase 100 vezes este ano em Minas contra bancos, agências dos Correios e caixas eletrônicos e, em muitos dos casos, houve uso de armamento pesado e tentativa de intimidar agentes de segurança. A facilidade de obter armas, o baixo efetivo nas cidades atacadas e a grande quantidade de rotas de fuga são razões apontadas para o alto número de assaltos.

Continua após a publicidade
Publicidade