Clique e assine a partir de 9,90/mês

Desastre em MG: 2 mortes e 28 desaparecidos por rompimento de barragem em Mariana

Por Da Redação - 7 Nov 2015, 13h24

O prefeito de Mariana, Duarte Gonçalves Júnior (PPS), informou nesta tarde de sábado que 28 pessoas estão desaparecidas após o rompimento das barragens da mineradora Samarco. A lista é composta por 13 funcionários da Samarco e de empresas prestadoras de serviço e 15 moradores do subdistrito de Bento Rodrigues, o local mais atingido. Entre os desaparecidos, há crianças e idosos.

O prefeito afirmou ainda que o número de desaparecidos pode aumentar. “Estamos aumentando nossa busca por terra com equipes de apoio”, garantiu. A Defesa Civil confirmou a segunda morte provocada pela tragédia. O corpo de um homem, ainda não identificado, foi encontrado na lama à beira de um rio no município de Rio Doce, a 100 quilômetros de Mariana. Na quinta-feira, um funcionário da Samarco, cuja identidade também não foi divulgada, faleceu depois de uma parada cardíaca na hora do desastre. A maioria dos 600 habitantes de Bento Rodrigues, localidade mais próxima à mina e que ficou totalmente destruída, conseguiu fugir a tempo.

Equipes de resgate retomaram na manhã deste sábado a busca por desaparecidos sob a avalanche de lama e de resíduos de minérios que devastou o distrito de Bento Rodrigues, em Minas Gerais. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a lama já se solidificou, o que permite intensificar as buscas.

Durante a coletiva, o diretor de operações da Samarco, Kléber Terra, afirmou que 557 pessoas estão hospedadas em hotéis com custos pagos pela mineradora. Um engenheiro da Samarco afirmou que a barragem de Germano, também em Mariana, está sendo monitorada e não há risco de rompimento. Dezenas de outras pessoas estão no albergue que a Prefeitura de Mariana criou em uma quadra poliesportiva. O prefeito Duarte comunicou que irá buscar ajuda financeira dos governos estadual e federal para a recuperação da cidade.

Continua após a publicidade

O acidente aconteceu na tarde de quinta-feira, com o rompimento de uma barragem de um depósito com 55 milhões de metros cúbicos de resíduos do processo de extração de minério de ferro. Pouco depois, outro depósito de água cedeu e toda esta mistura avançou rapidamente cerca de dois quilômetros para alcançar Bento Rodrigues, de 620 habitantes e que fica a 23 quilômetros de Mariana, a cidade mais próxima.

O Serviço Geológico do Brasil anunciou que está monitorando de forma permanente o nível do Rio Doce, cuja cheia pode afetar 20 municípios dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.

A Samarco, que ainda desconhece as causas do acidente, é controlada pela Vale e pela australiana BHP.

(Com agência AFP e EFE)

Publicidade