Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Depois de “convenção” do PCC, dois carros de polícia são incendiados

Evento aconteceu em um ginásio de esportes na mesma região onde Marcola, líder da facção, está preso. 50 pessoas foram detidas no encontro

Dois carros da Polícia Militar foram incendiados na madrugada deste domingo em Álvares Machado, na região de Presidente Prudente, no oeste de São Paulo. Horas antes, a polícia da cidade havia detido cinquenta suspeitos de envolvimento com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). O incêndio ocorreu à 1h10. Um carro foi destruído e o outro ficou parcialmente queimado. O incêndio é descrito como criminoso, uma retaliação à prisão dos cinquenta homens que aconteceu na região na noite de sábado. “Eles devem ter ficado bravos, porque prendemos cinquenta suspeitos de envolvimento em atividades criminosas”, explica o sargento Oliveira, lotado no quartel da PM em Presidente Prudente.

As viaturas também podem ter sido incendiadas por alguém sem elo com os presos. “Pode ter sido um oportunista que se aproveitou da situação”, prevê o sargento. Até agora, nenhum suspeito foi preso. “Estamos investigando, e ainda não sabemos o que causou o incêndio”, afirma.

Presos – Na noite de sábado, a Polícia Militar prendeu 37 homens e apreendeu treze adolescentes reunidos em um ginásio de esportes, vigiado por dois homens. Com quinze viaturas, a PM cercou o local onde há um campo de futebol. O grupo foi levado de ônibus para a delegacia de Álvares Machado. A ligação dos 37 homens com o Primeiro Comando da Capital (PCC) não é descartada pela polícia. “Tudo indica que eles colaboram com o PCC”, completa o sargento. A polícia suspeita que a reunião era para recrutar pessoas da região para a facção criminosa.

Todos foram ouvidos e, na manhã deste domingo, os adultos, muitos com passagens pela polícia, foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caiuá, no interior paulista. Os menores foram entregues aos pais e responsáveis. Os 37 acusados vão responder pelos delitos de corrupção de menores e associação criminosa.

Líderes – O município de Álvares Machado fica na região de Presidente Prudente, à oeste do Estado de São Paulo. Na mesma área estão os municípios de Presidente Venceslau e Presidente Bernardes, onde estão instalados presídios que abrigam detentos considerados líderes do PCC. Na penitenciária de Presidente Venceslau está preso Marco Camanho, o Marcola, apontado como o chefe do PCC.

A penitenciária de Presidente Venceslau é considerada de segurança máxima e uma das mais vigiadas do Estado. Marcola, após a polícia ter descoberto um requintado plano de fuga para resgatar o líder, foi transferido neste mês, por determinação da Justiça, para o regime disciplinar diferenciado, onde o preso passa 22 horas por dia isolado.

A cúpula da Polícia Civil alertou que após a transferência de Marcola para o isolamento, o esquema de segurança entre as cidades precisaria ser intensificado.

(Com Estadão Conteúdo)