Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Bolsonaro finaliza coletiva após pergunta sobre “carona” em helicóptero

Sobrinho do presidente usou nave oficial para familiar chegar ao casamento do primo e deputado federal Eduardo Bolsonaro, no Rio

Por João Batista Jr. - Atualizado em 27 jul 2019, 08h32 - Publicado em 27 jul 2019, 08h31

O presidente Jair Bolsonaro interrompeu a entrevista coletiva então realizada na cidade de Goiânia na noite de sexta (26) ao ser questionado sobre o transporte de seu sobrinho, Osvaldo Bolsonaro Campo, em um helicóptero da FAB. O parente usou a aeronave para chegar ao casamento do primo e deputado federal Eduardo Bolsonaro, realizado no dia no dia 25 de maio, no Rio de Janeiro. Foi o próprio Osvaldo quem postou o vídeo-selfie em uma rede social viajando no helicóptero militar, para depois retirar o conteúdo do ar.

Visivelmente irritado, o presidente Bolsonaro chamou de “idiota” a pergunta realizada por repórter da Folha de S. Paulo sobre o uso de helicóptero pelo sobrinho. “Com licença, estou numa solenidade militar, tem familiares meus aqui, eu prefiro vê-los do que responder uma pergunta idiota para você. Tá respondido? Próxima pergunta”, disse o presidente.

Ocorre que a próxima pergunta foi de um repórter que também quis saber os motivos que levou um helicóptero da FAB ser usado para benefício de parente. Foi quando Bolsonaro virou as costas e finalizou a coletiva em menos de um minuto após seu início.

Sobrinho de Bolsonaro em helicóptero da FAB
Sobrinho de Bolsonaro em helicóptero da FAB: ‘Saiu a caravana do Vale do Ribeira’ Youtube/Reprodução

A entrevista foi interrompida após a cerimônia do 161º Aniversário da Polícia Militar de Goiás e também da formatura da 45ª turma de aspirantes da Polícia Militar. Luiz Paulo Leite Bolsonaro, sobrinho do presidente, estava entre os formandos, que recebeu das mãos do tio a premiação por ficado em terceiro lugar no curso de formação.

Publicidade

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI), responsável pela segurança do presidente e seus familiares, informou a VEJA que agiu conforme a lei e que a coordenadoria de segurança decidiu que o presidente e os parentes fossem transportados em aeronaves da Força Aérea Brasileira “por razões de segurança”.

Confira a nota na íntegra:

1. Conforme a Lei Nr 13.844, de 18 de junho de 2019, o GSI é responsável por zelar pela segurança do Presidente e Vice-Presidente da República, bem como de seus familiares.

2. Por razões de segurança, o Coordenador de Segurança de Área neste evento, exercendo competências contidas no Decreto Nr 4.332, de 12 Ago 02, decidiu que o Presidente da República e familiares fossem transportados em helicópteros da Força Aérea Brasileira.

Publicidade

3. Portanto, no caso em comento, justifica-se o procedimento adotado pelo GSI que segue, na íntegra, a legislação vigente.

 

Publicidade