Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bento XVI nomeia 22 cardeais, entre eles 18 novos eleitores

O Papa Bento XVI vai nomear neste sábado 22 novos cardeais, entre eles 18 que estarão habilitados a eleger seu sucessor no caso de um conclave, num momento em que o Vaticano se vê ensombrecido por vazamentos de pseudo-informações.

Na Basílica de São Pedro, Bento XVI vai entregar o barrete vermelho, que simboliza a fidelidade dos prelados até o martírio, o anel e o título de “príncipe da Igreja” a 16 religiosos europeus, dois americanos, um canadense, um brasileiro, um indiano e um chinês de Hong Kong.

O brasileiro é o arcebispo Dom João Braz de Aviz, atual Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica no Vaticano.

Passou a infância, com a família numa cidade do interior de São Paulo ingressando, aos onze anos, no dia 21 de abril de 1958, no Seminário São Pio X, dos padres do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras, na cidade de Assis, interior de São Paulo, onde estudavam os seminaristas menores da Diocese de Londrina.

Estudou Filosofia na cidade de Curitiba no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos e na cidade de Palmas, interior do Paraná, seguindo para Roma onde cursou a faculdade de Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.

De 1989 a 1992 fez o doutorado em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Lateranense em Roma. Nos anos de 1992 a 1994 foi reitor e professor de Teologia Dogmática no Instituto Paulo VI de Londrina e pároco da Catedral Nossa Senhora de Lourdes de Apucarana.

No dia 28 de janeiro de 2004 foi nomeado arcebispo da Arquidiocese de Brasília.

Em 2007 foi eleito presidente do Regional Centro-Oeste da CNBB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, onde também foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé e vice-presidente das Edições CNBB.

No dia 4 de janeiro de 2011 foi nomeado pelo Papa Bento XVI prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica do Vaticano.

Dos novos cardeais, apenas 18, entre os com menos de 80 anos, poderão votar para escolher o sucessor de Joseph Ratzinger.

Assim, com as novas nomeações, o número de participantes do “sacro colégio” chegará a 213.

Muitas nomeações são quase automáticas, como os cardeais de Utrecht, Florença, Berlim, Praga, Toronto, Nova York).

Ao designar sete italianos, o Santo Padre, de nacionalidade alemã, que completará 85 anos em abril, eleva seu efetivo a 30 eleitores, o que dará maiores chances a um religioso italiano tornar-se Papa, após os pontificados de um polonês e de um alemão.

A não ser o brasileiro integrante da Cúria Apostólica, João Braz de Aviz, nenhum dos novos promovidos vem da América Latina, o continente que possui o maior número de católicos do mundo.