Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Australiana é a mulher mais rica do mundo

Por Christian Sprogoe - 23 maio 2012, 08h16

A australiana Gina Rinehart, herdeira da empresa de mineração Hancock, é atualmente a mulher mais rica do mundo, superando a americana Christy Walton, dos supermercados Wal-Mart, segundo a revista Business Review Weekly (BRW).

De acordo com a lista de 200 pessoas mais ricas do mundo elaborado pela BRW, Rinehart, de 58 anos, possui uma fortuna calculada em 28,4 bilhões de dólares.

Em março, a revista Forbes havia informado que Walton – viúva de um dos filhos do fundador do Wal-Mart – era dona de uma fortuna de 25,3 bilhões de dólares e que Rinehart tinha US$ 18 bilhões.

De acordo com Andrew Heathcote, que elaborou a lista da BRW, Gina Rinehart praticamente dobrou a fortuna em apenas um ano graças ao aumento dos preços das matérias-primas e a dois contratos assinados nas áreas de carvão e minério de ferro.

Publicidade

“O aumento (da fortuna) não tem precedentes. É resultado de investimentos no exterior em novos projetos, de um aumento da produção e de uma valorização do minério de ferro nos últimos seis meses”, explicou Heathcote.

“Se a valorização das matérias-primas continuar, uma fortuna de 100 bilhões de dólares não é impossível”, completou.

Rinehart é uma figura polêmica na Austrália, onde lidera uma vigorosa campanha, muito criticada pelo governo trabalhista, contra a introdução de taxas sobre a atividade de mineração.

Três dos quatro filhos da bilionária processam a empresária por disputas relacionadas ao controle das empresas da família.

Publicidade