Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após ataque hacker, STJ começa a restabelecer sistemas

Corte afirma que dados estão sendo recuperados através de backups e a distribuição de processos voltará a ocorrer na terça-feira, uma semana após invasão

Por Da Redação 8 nov 2020, 23h37

Os sistemas de informática do Superior Tribunal de Justiça (STJ) começarão a ser restabelecidos de forma gradual nessa segunda-feira, 9, a partir do Sistema Justiça – o principal da Corte, informou o tribunal em nota divulgada neste domingo, 8. Segundo comunicado, os dados perdidos após ataque hacker estão sendo recuperados a partir do backup e que o trabalho está avançando conforme o esperado e com as precauções que a situação demanda.

Também nesta segunda-feira, servidores, colaboradores e estagiários do STJ retomam a modalidade de trabalho em que se encontravam antes da indisponibilidade temporária causada pelo ataque hacker (presencial, teletrabalho ou trabalho remoto)”, afirma o tribunal em nota. 

Na última terça-feira, os sistemas do STJ foram alvo de uma invasão hacker. O ataque causou a interrupção de diversos julgamentos que ocorriam simultaneamente, por videoconferência, nas seis turmas do STJ. Os prazos processuais foram suspensos. Segundo o tribunal, as demandas urgentes estão centralizadas na presidência da Corte. “ plantão judicial, que vem sendo exercido pela Presidência, encerra-se amanhã (9), com os prazos voltando a correr no próximo dia 10″, afirma o tribunal. 

A distribuição dos processos ao ministros também devem voltar a ocorrer a partir de terça-feira. “Poderão ser realizadas as sessões de julgamento, a critério dos presidentes de turmas e seções. As sessões da Corte Especial e do Conselho de Administração obedecerão ao calendário previamente estabelecido”. 

Segundo o tribunal, o caso está sendo investigado pelo Comando de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro, a presidência do STJ recebeu, também, apoio da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. “A Polícia Federal está apurando os efeitos do ataque hacker à rede de tecnologia da informação do tribunal, inclusive com relação à extensão do acesso aos arquivos, bem como sobre eventual cópia de dados. A investigação do crime segue em inquérito sigiloso”, diz.

Sem precedentes, o ataque hacker causou preocupação no tribunal e deixou todos os arquivos da terceira instância da Justiça brasileira expostos, algo que mostra a vulnerabilidade dos sistemas. Ao Radar, ministros classificaram o ataque à corte como histórico. “É muito grave que um tribunal superior do país deixe de funcionar por causa de uma ação de criminosos. Toda a memória da Corte estava nesse sistema agora corrompido”, afirmou um dos ministros.

(Com Agência Brasil)

Continua após a publicidade
Publicidade